Segundo a BusinessWeek, a Microsoft “não lançará um concorrente aos sistemas operacionais para tablets da Apple Inc. e Google Inc. até a temporada de volta às aulas de 2012”. Isto é no final de 2012. Daqui a 18 meses. E ela pode estar certa.

Se for verdade, a Microsoft só vai lançar um produto para tablets depois de um terceiro (ou talvez até quarto) iPad ter sido lançado. E depois do Android 4.0 ou 4.5 ou 5.0, sei lá. Isso é dois anos e meio depois do lançamento do iPad original, que redefiniu o tipo de computação que o fundador da Microsoft sonhou ser o futuro da computação. O Google conseguiu responder ao iPad em um ano. A Palm, mesmo depois de ter entrado em bancarrota e de ter sido devorada pela gigante corporativa que é a HP, terá um tablet próprio daqui a alguns meses.

Então é impressionante ver que, aparentemente, a Microsoft quer esperar. Eles fizeram a mesma coisa com o Windows Phone 7: ele só foi lançado no final do ano passado, depois que Apple e Google já haviam tomado o mercado de smartphones. O WP7 ainda não mostrou resultados fortes – a parceria com a Nokia deve ajudar – mas eles criaram um produto impressionante. Fugiram da interface do iPhone e do Android, corrigiram erros dos concorrentes (atualizando todos os aparelhos com WP7 independente da marca, por exemplo) e estimularam o ecossistema de apps. Eles têm um produto sólido: agora basta promovê-lo.

Com os tablets, talvez eles façam algo semelhante. E precisam mesmo. Como dissemos na nossa análise do iPad 2, quem quiser lançar um concorrente à tabuleta da Apple precisa voltar à fase de projetos e trazer um produto tão bom ou melhor, e a um preço competitivo. Isso leva tempo. Agora o iPad 2 está de igual pra igual no hardware com a concorrência (Xoom, por exemplo). Mas mesmo o iPad original já ganhava no quesito software, principalmente devido aos milhares de apps disponíveis para ele – enquanto o Honeycomb é descrito como “inacabado” por muitos. A concorrência precisa lançar um produto com software bastante capaz, e se o WP7 mostra alguma coisa, é que a Microsoft sabe fazer isso.

A Microsoft só precisa de tempo. E, como em 2011 o iPad deve reinar sozinho, 2012 parece uma boa data para desafiá-lo. [BusinessWeek via Gizmodo US]