É bem verdade que Pimentel falou do assunto de forma positiva — e caso tudo se concretize, realmente é algo bom para o país. Mas o prazo estipulado para a instalação da Foxconn no Brasil é bem diferente do aclamado por Mercadante, conforme relata o G1:

“A Foxconn está vindo. Vai demorar pelo menos mais um ano até eles concluírem o projeto deles, mas eles estão vindo”, disse Pimentel.

Ué. Mas Mercadante não tinha dito recentemente que o aparelho nacional já estaria no mercado até o Natal, com fabricação em Jundiaí? Disse, e mantém o discurso. Segundo a assessoria do Ministério da Ciência e Tecnologia, Pimentel falava sobre a fábrica de telas de LCD da Foxconn, que terá investimento de US$12 bilhões e, aí sim, demorará pelo menos mais um ano para ser concluída. O ministério reafirma ainda que o prazo para a fabricação em Jundiaí continua. Mas tudo depende de uma sintonia maior entre governo e Foxconn, algo que parece estar em falta nos últimos tempos. [G1 e Terra]