Há algum tempo falamos sobre o Shine, um pequeno monitor de atividade física. Lançado no ano passado, ele já vendeu mais de 300.000 unidades, e ao contrário de gadgets como o Samsung Gear Fit, ele pode ser usado em qualquer lugar: no pulso, no tênis… e agora, até no pescoço.

Preparando-se para o dia das mães, a Misfit Wearables lançou hoje o Bloom, um colar de US$ 80 que se prende magneticamente ao Shine. Segundo o TechCrunch, o gadget se tornou “surpreendentemente popular entre mulheres”.

misfit shine

O pequeno dispositivo, feito de alumínio, acompanha você durante caminhadas e corridas, serve para ciclismo e natação (ele é à prova d’água), e até monitora seu sono. Para ativá-lo, basta tocar três vezes nele – como não há tela, ele depende de sensores para receber comandos.

Os dados são transferidos por Bluetooth: basta colocar o Shine em cima do iPhone ou Android (após pareá-los) e pronto. No smartphone, você pode acompanhar sua atividade do dia, e também estipular metas.

A superfície do Shine tem 12 luzes LED, que funcionam como relógio (veja no vídeo acima); para ativar esta função, toque duas vezes. As luzes também indicam a quantos % você está de alcançar sua meta de passos dados, ou distância percorrida. A bateria – uma pastilha CR2032 comum – dura 4 meses e pode ser substituída.

O Shine custa US$ 120 e é vendido pela internet (com US$ 50 de frete para o Brasil!) e em lojas físicas da Apple, Best Buy e Target nos EUA. Também há acessórios como pulseiras de couro, pulseiras esportivas e até camisas e meias para prender o gadget. (A presilha do Shine funciona em qualquer roupa, mas enfim.)

Um dos cofundadores da Misfit Wearables é John Sculley, mais conhecido por ter sido CEO da Apple entre 1983 e 93 – o que, para ele, “foi um grande erro”. Mas agora, ele se dedica a investimentos na área de saúde. O Shine foi lançado no ano passado após uma campanha bem-sucedida de crowdfunding no Indiegogo, que arrecadou quase US$ 850.000 em três meses. [Misfit Shine via TechCrunch]