As agências espaciais da Europa e da Rússia infelizmente anunciaram que a próxima missão para a superfície de Marte com uma sonda foi adiada em dois anos, de 2018 para 2020.

>>> Conheça a missão espacial que está indo rumo a Marte para encontrar sinais de vida



A sonda deve fazer parte da missão conjunta ExoMars feita pela Agência Espacial Europeia (ESA) e pela Roscosmos. A primeira etapa já foi lançada com sucesso para o espaço. Essa missão é formada por duas sondas robóticas – a Trace Gas Orbiter (TGO) e o veículo Schiaparelli. O segundo lançamento, no entanto, é destinado a colocar uma sonda de tamanho completo na superfície do Planeta Vermelho, capaz de perfurar até 2 metros dentro da crosta marciana.

De acordo com a BBC, no entanto, tanto engenheiros da agência russa quanto da europeia estão com dificuldades para seguir o cronograma do projeto. Infelizmente, perder o lançamento em 2018 significa ter que esperar pelo próximo alinhamento planetário favorável, que só acontecerá depois de 26 meses.

Rolf de Groot, da ESA, explicou à BBC:

“O que estivemos fazendo recentemente foi ver se conseguiríamos diminuir a fase de montagem, integração e testes para algo aceitável do ponto de vista de riscos, mas mantendo o lançamento em 2018.

Recentemente, concluímos que não é possível fazer isso sem adicionar uma quantidade grande de risco adicional para uma missão já arriscada. Então decidimos que a única coisa responsável a fazer é mudar a data de lançamento para 2020.”

O projeto enfrentou uma série de problemas desde a sua aprovação em 2005. O que começou como uma missão de demonstração modesta se tornou uma exploração ampla de Marte, o que causou alguns adiamentos. Ela também tem problemas financeiros, com a NASA e a Roscosmos ajudando em diversos estágios do projeto.

Agora torcemos para que o lançamento de 2020 seja mantido.

[BBC]