Se você gosta de temperar sua salada apenas com óleo e vinagre, seus dias de chacoalhar uma garrafa com estes temperos para misturá-los pode estar com os dias contatos. Pesquisadores do MIT descobriram uma maneira de combinar água e substâncias à base de óleo para que elas permaneçam misturadas por meses.

Existem diversas razões porque óleo e água (e soluções à base d’água, como o vinagre) resistem à mistura: óleo é menos denso que a água e propenso a flutuar sobre o H20, moléculas de água se juntam naturalmente usando fortes ligações de hidrogênio, e o óleo é hidrofóbico, repelindo a água em vez de atraí-la. Como resultado, se você deseja misturá-los por mais de alguns minutos, é necessário criar uma emulsificação misturando ou vibrando a combinação para criar pequenas gotículas que demoram muito mais para coalescer em gotas maiores, eventualmente se separando.

Criar uma emulsão é um processo intensamente energético, e caro quando em escala industrial. Mas uma nova abordagem desenvolvida no MIT é muito mais barata e fácil de implementar. Em vez de chacoalhar ou liberar ondas sonoras na mistura, eles usam a mesma ciência que faz o espelho do banheiro embaçar quando se toma um banho quente: condensação.

O óleo é inicialmente misturado com um surfactante, que é uma substância parecida com o sabão, que se liga facilmente às moléculas de óleo e água. O óleo é colocado em uma câmara cheia de umidade do ar e então resfriado, o que faz a água do ar condensar, formando microscópicas e uniformes gotículas que eventualmente se espalham no óleo. Ao ajustar adequadamente a mistura de óleo e surfactante, as gotículas podem se reduzir a uma nanoescala que não são facilmente afetadas pela gravidade, produzindo emulsões que permanecem estáveis por meses – não apenas minutos.

Além de revolucionar a indústria da salada, a pesquisa pode ajudar a estender o prazo de validade de fármacos que geralmente contém emulsões instáveis, o que resulta em um insatisfatório período de validade.

[MIT]