MixRadio permite ouvir 35 milhões de músicas offline de graça no Android e iOS

Se você não está a fim de assinar um serviço de streaming, e não quer lidar com arquivos MP3 no celular, dê uma olhada no MixRadio.

O streaming de música se tornou bastante popular no Brasil, graças à chegada de serviços como Spotify e Deezer. Eles impõem algumas limitações no smartphone, no entanto: por exemplo, você não pode usar o app quando está offline – só se pagar.

Se você não está a fim de assinar um serviço de streaming, e não quer lidar com arquivos MP3 no celular, dê uma olhada no MixRadio – que agora está disponível para Android e iOS.

O MixRadio é gratuito com anúncios discretos na parte inferior da tela. São 35 milhões de faixas e 10.000 playlists prontas. Você também pode criar um mix personalizado escolhendo pelo menos três artistas que você mais ouve.

E quanto mais você usar, mais o MixRadio aprende quais são os seus artistas favoritos, para criar um “Meu mix” personalizado com as músicas que você gosta – e novas faixas que você talvez curta.

A maior vantagem é poder escutar as músicas offline sem pagar por isso, enquanto você apoia seus artistas favoritos (o serviço paga pelos direitos autorais). É possível guardar até quatro mixes ao mesmo tempo.

Por ser gratuito, há algumas limitações: você não pode voltar para uma faixa anterior, e tem um número máximo de vezes para pular músicas da playlist. Também não há programa para desktop nem webapp.

Este serviço estava disponível há anos para smartphones Lumia, porém mudou de mãos. Ele foi adquirido pela Microsoft quando a empresa comprou a divisão de celulares da Nokia; e depois foi vendido para a Line, empresa japonesa de mensagens instantâneas.

Por isso, não é surpresa que o MixRadio agora esteja disponível para iOS e Android: ele precisa chegar a muito mais usuários para fazer sentido comercialmente, já que depende de anúncios. A Line também fez parceria com a HTC para embutir o serviço de música em seus smartphones.

O MixRadio pode ser baixado no Android, iOS e Windows Phone. [PRNewswireTechCrunch]

Sair da versão mobile