A Motorola traz ao Brasil o seu smartwatch esportivo: o Moto 360 Sport. A segunda geração do relógio inteligente da marca chega pouco depois de sua apresentação nos Estados Unidos, no início de dezembro de 2015. Para falar a verdade, já estávamos esperando que ele chegasse ao mercado brasileiro, pois a empresa já tinha anunciado em um post em seu blog, mas não sabíamos exatamente o dia.

Todos sabemos mais ou menos o que o smartwatches oferecem (sendo muito claros: são grandes concentradores de notificações), então, vamos começar pelo que a Motorola oferece de diferente neste seu modelo esportivo.

Ele vem com um GPS embutido, que poderá ser útil para monitorar o trajeto de sua corrida, tornando seu relógio um pouco menos dependente do smartphone. A pulseira é fixa e feita de silicone. A marca argumenta que isso faz com que o dispositivo fique mais resistente à poeira e suor, porém, ele não chega a ser completamente à prova d´água. Por outro lado, é perdido todo o processo de personalização, mesmo após a compra do aparelho. Dessa vez, o usuário terá apenas a pulseira na cor preta.

O app Moto Body será uma espécie de coaching do dono do Moto 360 Sport. Ele consiste em uma central de informações de atividade física, que também pode ser sincronizada com alguns apps de atividade física, como Google Fit, Fitbit, MapMyRun, entre outros. A tela anylight do aparelho é híbrida: se adapta independente da iluminação local. Em ambientes ensolarados, por exemplo, o display fica com fundo escuro com detalhes em branco.

IMG_5335

Moto 360 Sport é todo selado e o carregamento dele é feito por indução

Outro diferencial do aparelho tem relação com o monitoramento de frequência cardíaca durante a atividade física. Enquanto boa parte dos aparelhos necessita de um comando ativo, o Moto 360 Sport promete informar em um gráfico o tempo que você gastou em diferentes taxas de batimento cardíaco. Se isso for preciso, é possível até detectar algum problema do coração, no caso de picos ou baixas significativas na frequência cardíaca.

Especificações técnicas do Moto 360 Sport
Sistema: Android Wear
Tela: 1,37 polegada Gorilla Glass 3, (360 x 325 pixels)
Armazenamento e memória: 4GB de storage (cerca de 3 GB úteis para o usuário) + 512MB de RAM
Processador do relógio: Adreno 305 com 450MHz GPU
Conectividade: Bluetooth 4.0 de baixo consumo/Wi-Fi 802.11 b/g.
Sensores: barômetro, acelerômetro, de luz ambiente, giroscópio, haptic engine
Monitor de frequência cardíaca: Monitor óptico (PPG)
Resistência: categoria IP67 — resistente à suor e poeira (isso não quer dizer que ele é à prova d’água).
Dimensão do case do relógio: 45 mm de diâmetro por 11,5 mm de altura
Peso: 54 g
Bateria: 300 mAh

O aparelho começa a ser vendido por R$ 1.999 ainda nesta terça-feira (19) na loja online da companhia e deve chegar aos quiosques da marca até o fim desta semana. Pelo preço, maior que de vários aparelhos da própria marca, nota-se que é um dispositivo para nicho. A empresa parece priorizar usuários de dispositivos fitness que, às vezes, têm diferentes devices para medir batimento e monitorar a distância percorrida, por exemplo. Pode dar certo (ou  não).

O valor do Moto 360 Sport mostra bem a discrepância que o dólar tem causado do preço dos eletrônicos. A título de comparação, o primeiro Moto 360 chegou ao Brasil custando R$ 799 — atualmente, custa R$ 1.099.