Um anúncio publicado ontem, em grandes jornais dos EUA, diz que o primeiro aparelho da Motorola totalmente influenciado pelo Google será “o primeiro smartphone cujo design você mesmo pode fazer”. Era uma frase ambígua em inglês. O que ela significa? Parece que Joanna Stern, da ABC News, descobriu.

Primeiro, as más notícias: segundo fontes, você não poderá escolher as especificações do Moto X. Ou seja, nada de selecionar o processador, ou decidir quanta RAM você quer – isso não será possível. Haverá diversas opções de armazenamento, no entanto.

Então que parte do smartphone será personalizável? As cores do aparelho, além de uma gravação na traseira, de acordo com a ABC News:

Através de um site, você poderá escolher entre uma paleta de cores diferentes. Pode-se utilizar uma cor para a traseira, e outra para a borda do celular. Os usuários também poderão gravar um nome ou mensagem na traseira, bem como fazer upload de uma foto pessoal através do site para usá-la como papel de parede na tela do smartphone, de acordo com pessoas familiarizadas com o lançamento.

Esse provavelmente não era o sonho dos geeks, mas se você queria algo além de um smartphone colorido, não fique triste: o Moto X promete muitas novidades boas.

Segundo Dennis Woodside, CEO da Motorola, ele terá vários sensores para saber, por exemplo, quando você quer tirar uma foto: nesse caso, ele ativa o app da câmera automaticamente. Ele também percebe que você está dentro de um carro e liga o viva-voz nas ligações.

Além disso, a Motorola promete grande duração da bateria (algo que a empresa já faz no Razr Maxx, por exemplo). Fontes dizem à ABC News que também há mais recursos de voz no aparelho, além dos que o Android já oferece.

Desde que a Motorola foi vendida em 2011, ficamos esperando por um smartphone totalmente influenciado pelo Google. Ele chega em outubro, mas deve ficar restrito aos EUA por algum tempo: o Google reforça que o Moto X será fabricado no país para agilizar a entrega aos clientes americanos. [ABC News]