Durante a Tokyo Motor Show, a Yamaha anunciou uma novidade que foge bastante dos híbridos eficientes em consumo de energia e veículos autônomos que dominaram a feira: um motoqueiro robótico chamado Motobot que consegue pilotar algumas das mais velozes motocicletas do mundo.

Ou talvez a Yamaha esteja desenvolvendo o futuro da polícia rodoviária, considerando que o Motobot lembra bastante o RoboCop de 2014. O humanoide pode muito bem ser projetado para perseguir pessoas em alta velocidade, ou para acabar com uma perseguição sem precisar colocar vidas de agentes da lei em risco.

Mas, por enquanto, a Yamaha tem planos menos ambiciosos para o Motobot. A divisão de robótica da empresa espera completar o desenvolvimento do robô para que ele consiga ficar preso a uma motocicleta não-modificada (sem equipamentos de segurança) a velocidades superiores a 200 km/h.

Esse é um robô autônomo humanoide que pilota motocicletas desenvolvido a partir de uma fusão das tecnologias da Yamaha de motocicletas e robótica. O desenvolvimento atualmente tem como objetivo desenvolver um robô capaz de pilotar uma motocicleta não-modificada em uma pista de corrida a mais de 200 km/h.

A tarefa de controlar os movimentos complexos de uma motocicleta em alta velocidade exige uma variedade de sistemas de controles que precisam funcionar com um alto grau de precisão. Queremos aplicar a tecnologia e know-how adquiridos no processo desse desafio para criar um motorista avançado e seguro e sistemas de suporte e colocá-los em uso nos nossos negócios, assim como usá-los em linhas de negócios pioneiras.

A pesquisa também levanta a questão se será ou não divertido assistir a corridas de motocicletas pilotadas por esses robôs. Ou nosso fascínio com corridas está diretamente relacionado ao risco envolvendo os humanos nos veículos? [Yamaha via Gizmag]

robo-motobot-2