Isso é extraordinário: Jan Scheuermann, uma tetraplégica de 52 anos, ganhou total controle de um braço robótico. Não apenas comandos simples, e sim controle completo com “habilidades e velocidade similar ao que consegue uma pessoa sem deficiência”.

De acordo com o estudo, liderada pelo professor de neurobiologia da Universidade de Pittsburgh, Andrew Schwartz, ela atingiu este impressionante feito com apenas 13 semanas de treinamento:

A participante foi capaz de mexer a prótese livremente em um espaço tridimensional no segundo dia de treinamento. Após 13 semanas, movimentos robustos em sete dimensões foram realizados. A taxa de sucesso na realização de tarefas foi de 91,6% (SD 4.4) ante uma chance média nível¨de 6,2 (95% CI 2.0-15.3). As melhorias foram vistas no tempo de conclusão (diminuição de uma média de 148 segundos [SD 60] para 112 segundos [6]) e na eficiência (melhora de 0.30 [0.04] para 0.38 [0.02]. A participante também foi capaz de usar a prótese para realizar movimentos coordenados que resultaram em ganhos clinicamente significativos nos testes de função do membro superior. Nenhum evento adverso foi observado.

Traduzindo: Jan agora tem um braço robótico que ela pode controlar do mesmo jeito que você controla o seu braço.

Para chegar a isso, a equipe de Schwartz implantou dois microeletrodos intracorticais no córtex motor de Jan, a parte do cérebro responsável por controlar o movimento dos membros. Os resultados, de acordo com os cientistas, foram estranhos. Eles ficaram surpresos com o tempo que ela demorou para controlar o braço robótico.

Schwartz diz que isso é “muito melhor do que qualquer outra coisa que foi demonstrada antes”. Tão bom que ele acha que vai mudar as coisas para sempre.

Eu realmente acho que é uma evidência convincente que essa tecnologia vai ser usada no tratamento de lesões no cordão espinhal. Eles estão realizando tarefas que são benéficas no cotidiano e acho que é algo conclusivo a este ponto.

Parece que um futuro que poderemos substituir um membro por uma versão robótica, como quando Luke Skywalker ganhou sua nova mão em Star Wars, está mais perto de acontecer do que imaginávamos.  [The Lancet via BBC e El Mundo]