Quando eu vi esta imagem pela primeira vez, minha primeira reação foi “ah, que lindo esse modelo de papel de um módulo lunar! Tão bem feito!”. Depois eu percebi que não era um brinquedo, e sim uma foto da nave original.

Claro, não é uma nave construída com papelão e cola, mas o Lunar Module Challenger — uma nave com 5,4 por 4,2 por 4 metros — levou os astronautas Eugene Cernan e Harisson Schmitt, tripulantes da Apollo 17, até a superfície da Lua, enquanto o piloto do módulo, Roland Evans, orbitava acima deles. Se a nave parece frágil e porque, bem, ela era frágil. Ou melhor, forte o bastante para completar sua missão, mas fraca para voar em qualquer outro lugar que não seja o espaço e a Lua.

Na época, a prioridade era criar a nave mais leve possível com um espaço humanamente aceitável para os dois astronautas, além das ferramentas que eles precisassem transportar (e também para trazer pedras e vestígios da Lua). Em seu estágio final — a da foto acima — a nave pesava apenas 4.600 quilos, incluindo estrutura, motor, combustível e passageiros. Para se ter uma ideia da fragilidade da incrível nave, certos pontos de sua parede protetora tinham apenas 0,03 centímetros de espessura. Tão fino quanto um papel comum.

http://www.youtube.com/watch?v=FWCrQm4CQ_g&feature=player_embedded

O Apollo 17 foi a última viagem de humanos foram da órbita baixa da Terra e a última viagem para outro corpo celeste até então. A missão quebrou o recorde de expedição com maior duração de órbita e voo lunar tripulado.

No vídeo, você pode ver Buzz Aldrin dentro do Eagle, o primeiro módulo lunar a aterrissar na Lua, com cara de durão em seu belo par de óculos escuros. [Facebook]