Após muita análise, a NASA escolheu um local instigante para sua próxima missão do rover Artemis: a borda montanhosa de uma cratera de impacto perto do polo sul da Lua.

Segundo o anúncio da NASA, o Volatiles Investigating Polar Exploration Rover (VIPER) será colocado fora da borda oeste da cratera Nobile.

Está é uma cratera antiga, localizada perto do polo sul da Lua, um lugar muito escuro, frio e sombrio, que consegue inclusive, preservar o gelo. O VIPER precisará sobreviver às temperaturas frias neste local ao longo de sua missão planejada de 100 dias à Lua, programada para novembro de 2023.

O polo sul lunar está entre os lugares mais frias do Sistema Solar. Nenhuma agência espacial jamais tentou pousar lá — toda a região foi apenas estudada à distância

As evidências indicam que existe gelo em quantidades significativas nas regiões do polo sul lunar, que se escondem em crateras sombreadas.

Ao enviar o VIPER para a cratera Nobile, a NASA espera descobrir sinais desse gelo e de outros recursos, tanto na superfície quanto na subsuperfície da lua.

“Os dados recebidos pelo VIPER fornecerão aos cientistas lunares ao redor do mundo uma visão mais aprofundada da origem, evolução e história cósmica de nossa Lua, e também ajudará a informar as futuras missões Artemis à Lua, além de permitir compreender melhor o ambiente lunar nessas áreas anteriormente inexploradas a centenas de milhares de quilômetros de distância”, disse Thomas Zurbuchen, administrador associado de ciência na sede da NASA, em um comunicado.

A NASA deseja criar um mapa de recursos globais capazes de prever onde existem recursos semelhantes em outros lugares da lua. Estas informações serão benéficas para futuras missões tripuladas à superfície lunar, enquanto promove o objetivo da NASA de estabelecer uma presença de longo prazo na Lua.

O VIPER, que custa US$ 433,5 milhões, também pode definir o cenário para futuros esforços de mineração na superfície da Lua.

O VIPER será lançado a bordo de um foguete SpaceX Falcon Heavy e será entregue à superfície lunar via Astrobotic’s Griffin Lander .

A expectativa é que o rover de 2,5 metros de altura viaje entre 10 a 15 milhas (16 a 24 km) ao longo da missão, durante esse tempo (100 dias) ele explorará uma região de 36 milhas quadradas (93 quilômetros quadrados).

A cratera Nobile apresenta terreno acessível e inúmeros dignos de exploração científica, incluindo um monte de pequenas crateras sombreadas que o VIPER conseguirá explorar com seus faróis — o primeiro para um rover de fora do mundo. O veículo espacial de quatro rodas também contará coma a ajuda de um sistema de suspensão que vai auxilia-lo a navegar até mesmo em camadas mais macias.

Vários espectrômetros e uma broca de martelo permitirão os empreendimentos científicos do VIPER.

Assine a newsletter do Gizmodo

Esta região montanhosa apresenta muitas áreas permanentemente projetadas na sombra, mas também áreas expostas à luz solar. Essas áreas iluminadas terão grande importância na missão, já que o VIPER usará seus painéis solares para recarregar e se manter aquecido — outro fator para a escolha da cratera Nobile.

O plano atual é que o VIPER visite seis locais distintos de interesse científico, com “tempo adicional de sobra”, conforme diz a NASA. As amostras serão extraídas de pelo menos três locais de perfuração diferentes e retiradas de várias profundidade e temperaturas. A missão pode fornecer informações sobre como a Lua adquiriu sua água congelada e outros recursos, como eles são preservados ao longo do tempo e o quanto dela escapa para o espaço.