O tópico “mudanças climáticas” aparece com frequência nos noticiários.

O problema é uma realidade que já afeta o planeta e, claro, as pessoas que o habitam. Em 2022, a NASA deve lançar quatro missões para estudar o fenômeno e amenizar seus efeitos. 

Essas missões da agência espacial norte-americana estão sendo discutidas no encontro de outono da União de Geofísica Americana (AGU) em New Orleans, nos Estados Unidos.

A iniciativa #UmSóPlaneta, organizada por marcas do grupo Globo, explicou como cada uma deve funcionar. Confira:

1. Tropics

A missão Tropics consiste em seis satélites do tamanho de xícaras de café que devem enviar aos cientistas informações sobre ciclones tropicais. Esses gigantes, como o Katrina e o Ida, são capazes de destruir cidades inteiras e tirar a vida de muitas pessoas. O instrumento da NASA ajudará a prever o problema, permitindo que as autoridades se preparem. 

Os satélites da missão Tropics serão capazes de mensurar o tamanho de ciclones a partir da detecção da radiação térmica emitida naturalmente pelo oxigênio e vapor d’água no ar. A agência espacial planeja lançá-lo até 31 de julho de 2022. 

2. EMIT

A poeira de rochas minerais, como calcita e clorita, podem viajar milhares de quilômetros pelo ar, alcançando até mesmo outros continentes. Seus efeitos podem ser drásticos para o clima: se cair na neve ou em geleiras, por exemplo, a poeira pode aumentar a absorção de luz e acelerar o derretimento. No ar, ela também pode reduzir a visibilidade e até mesmo prejudicar a saúde humana. 

O objetivo da missão EMIT é justamente mapear a origem dessa poeira e sua composição. Os estudos estão ocorrendo no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA sob coordenação de Robert O. Green. Um dos focos serão as regiões de clima árido, ainda pouco exploradas pelos pesquisadores.

3. NOAA’s JPSS-2

O foco da missão NOAA’s JPSS-2 é obter dados sobre temperatura e umidade das superfícies terrestres e marinhas, contribuindo para a previsão meteorológica. Os principais fenômenos ambientais considerados aqui são as enchentes e incêndios florestais, responsáveis pela destruição de ecossistemas inteiros e morte de pessoas e animais.

A missão, anunciada em 2020, estava até agora em fase de testes. Os cientistas estavam testando sua capacidade de suportar as vibrações e temperaturas extremas de lançamento e órbita, além da eficiência de seus instrumentos. O lançamento está previsto para setembro de 2022.

4. SWOT

A missão SWOT está sendo conduzida em parceria com a Agência Espacial Francesa (CNES) e a Agência Espacial Canadense. Seu objetivo é estimar os impactos das mudanças climáticas nas águas do planeta, a partir da medição da quantidade de líquido nos oceanos, lagos e rios da Terra.

Analisando as alterações nos corpos d’água, os pesquisadores pretendem entender a capacidade do oceano de absorver calor e gases do efeito estufa. Pelo menos 90% do globo deve ser monitorado, com medições feitas a cada 21 dias.