Você provavelmente já passou pela situação de sair do metrô ou descer do ônibus em uma cidade estranha. Você tem o caminho que precisa fazer no seu telefone, mas você não sabe para que lado ele fica ou o nome daquelas ruas. Se você andar na direção errada, pode perder muito tempo até voltar para a rota certa. Essa é a situação perfeita para o novo VPS (Visual Positioning System, ou sistema de posicionamento visual) do Google, que usa realidade aumentada para mostrar para onde você deve ir.

Na conferência Google I/O do ano passado, vimos uma nova camada de realidade aumentada no Google Maps. Ela foi projetado para superar as limitações do GPS em áreas densamente construídas e evitar confusões quando você estiver andando a pé por aí. O recurso ainda não está disponível publicamente, mas pudemos testá-lo e dizer o que deve vir por aí.

Este é o Visual Positioning System, ou VPS. Imagem: Google

O VPS extrai seus dados dos prédios e pontos de referência ao seu redor, em vez de confiar apenas na localização dos satélites. Ao combinar o VPS com os dados do Street View e um pouco de aprendizagem de máquina, o Google Maps pode descobrir onde você está (e para onde você deveria ir), mesmo que seu receptor GPS erre sua localização e pense que você está a três quarteirões da sua real posição.

Ele tem algumas peculiaridades que você pode ter perdido na breve demonstração do Google feita no ano passado. Também vale ressaltar que ele ainda é rotulado como um lançamento Alfa – você deve esperar muitos bugs nesse estágio e muitas melhorias a serem feitas.

Se você tiver acesso, o modo de realidade aumentada fica no aplicativo do Google Maps. Captura de tela: Gizmodo

Para acessá-lo no Android ou iOS neste momento, você precisa ser um dos Guias Locais do Google e estar no nível 5 ou superior (ou seja, alguém que deixa muitas avaliações e comentários sobre locais no Google Maps). Até agora, não há nenhuma palavra sobre quando a função estará disponível para todos, mas veja como ela se saiu em nossos testes.

Escolha um lugar para ir e defina uma rota a pé normalmente. Junto com o botão Iniciar habitual, você também verá uma opção Iniciar AR — escolha esta opção para ir direto para o modo de realidade aumentada. Você também pode alternar para o AR mais tarde, tocando no pequeno ícone de cubo que fica no canto inferior esquerdo da tela quando estiver navegando normalmente.

Com as instruções de realidade aumentada, fica difícil se perder por aí. Captura de tela: Gizmodo

Abra a interface da realidade aumentada e mantenha seu telefone na sua frente. O Google Maps, então, pede que você aponte a câmera do seu telefone para os prédios. Isso funciona de modo independente da localização do GPS e ajuda o aplicativo a se orientar quando o sinal dos satélites não for confiável.

Na maioria das vezes, a cena é reconhecida em um segundo ou menos, e você entra no modo de realidade aumentada. Nós deparamos com alguns problemas quando os prédios estavam particularmente próximos (em ruas estreitas) ou distantes (em parques), mas em geral era confiável o suficiente. Lembre-se que isso ainda está na fase alpha, então não estamos nem falando de uma versão beta.

O modo de realidade aumentada reconhece prédios e dá as direções de acordo com eles. Captura de tela: Gizmodo

Quando o Google Maps entende onde está, você pode começar a usar de fato os recursos de realidade aumentada. As direções podem aparecer como um ponto azul discreto nas laterais da tela, um pontilhado azul confirmando que você está no caminho certo ou (quando chegar perto de uma curva ou conversão) enormes setas animadas que apontam para a próxima rua que você precisa pegar.

Sendo este AR, esses gigantescos ponteiros flutuantes movem-se enquanto você se move e a câmera, e eles funcionam muito bem para ajudá-lo a descobrir aonde você deveria ir. O AR elimina todas as dúvidas sobre se você está enfrentando o caminho certo ou se está no seu turno, e ter o mapa também na tela abaixo (em um semicírculo menor) torna as instruções ainda mais fáceis de seguir.

O aplicativo diz para abaixar o telefone. Para ativar o modo de realidade aumentada, basta levantá-lo de novo. Captura de tela: Gizmodo

Quando você precisa ir em frente, isso também é indicado claramente no aplicativo, e os nomes das ruas são incluídos para que você possa conferir com as placas. Quando você chegar perto de seu destino, ele estará marcado com um alfinete vermelho do Google Maps.

Este não é um modo que você mantém ativado e aberto o tempo todo — é algo que você ativa a cada alguns minutos para pegar mais instruções. Ao abaixar o telefone, ele volta para a visualização normal; ao levantá-lo, o modo de realidade aumentada volta a funcionar. Você pode ajustar esse comportamento nas configurações do Google Maps.

O modo de realidade aumentada está em desenvolvimento e nem sempre funciona. Captura de tela: Gizmodo

O aplicativo em si avisará você para não manter o telefone na sua frente por muito tempo. O aviso aparece depois de apenas alguns segundos ou alguns passos, porque ele realmente não foi feito para uso prolongado. A ideia é que você se atenha à visualização de navegação tradicional e vá para a realidade aumentada apenas quando houver alguma dúvida sobre para onde você precisa ir em seguida.

Na verdade, é mais para quando você está parado e não quando você está andando. O GPS não é muito confiável quando você está entre arranha-céus gigantes ou outros grandes prédios urbanos. Por isso, esse recurso pode ser muito útil no futuro.

Pense nisso como um bônus adicional à navegação a pé, e não como um modo alternativo no qual você vai gastar muito tempo. É algo que você vai usar quando estiver em cruzamentos complicados, ou quando você estiver saindo do metrô, ou quando a localização do GPS do seu telefone estiver muito confusa.

Infelizmente, ainda não há sinal de quando veremos em nossos smartphones a raposa que apareceu na demo do Google no I/O 2018. O Google ainda deve estar pensando em como guiar as pessoas usando a nova tecnologia. Mesmo assim, ela já é bastante impressionante — ative-a caso ela apareça em seu app do Google Maps.