O serviço Net Now, segundo informações da Info, já está passando pela fase de treinamento da equipe técnica. O sistema seria oferecido aos clientes do pacote digital HD e digital HD Max, mas ainda não está claro como será a venda, a divisão ou os custos — a notícia afirma apenas que “o usuário do serviço poderá escolher entre os estilos cinema, canais de TV, kids, músicas e séries” e que as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Porto Alegre e Cutiriba serão as primeiras agraciadas. Uma atualização de firmware dos decodificadores HD instalaria automaticamente o Net Now.

Enquanto isso, a Folha de São Paulo de hoje informa que algumas plataformas de streaming internacionais estão bem interessadas no Brasil. Um deles é o Mubi, que pretende investir um bom dinheiro no Brasil, oferecendo filmes por no máximo 5 reais. A mesma matéria cita que a Netflix, gigante do streaming nos EUA e causadora de parte da derrocada das locadoras e TVs a cabo do país, também deve entrar no Brasil com serviços de aluguel de filmes e seriados.

Um dos prováveis atrativos das empresas é o aumento da média de velocidade de internet no Brasil. A corrida por clientes fez empresas como Net e Telefônica diminuírem o preço das velocidades mais altas. O que há 5 anos pagava uma conexão de 1Mbps, hoje garante 10Mbps. Fibra ótica e a GVT e seus bons números são outros fatores que colaboram para o aumento.

Resta saber agora se a população brasileira está pronta para pagar por conteúdo digital. Após anos de grandes preços em lojas oficiais e valores muito menores no mundo da pirataria, será que estamos prontos para pagar algo mais justo sem ter de sair de casa, com o conteúdo a um clique? Sinceramente, esperamos que sim. [Info e Folha]