por Bryan Lufkin

O Netflix, que promete 600 horas de conteúdo original ainda neste ano, deu um grande passo em sua marca rumo à dominação global.



Leia mais sobre a CES 2016:
>>> Novas TVs 4K OLED da LG têm a espessura de quatro cartões de crédito empilhados
>>> LG K7 e K10: uma tentativa de ganhar espaço entre smartphones intermediários

O CEO da companhia, Reed Hastings, anunciou durante a CES 2016, realizada em Las Vegas, que o Netflix a partir de hoje está disponível em 130 países, incluindo novos mercados emergentes (como Índia, Indonésia, Rússia, Azerbaijão); e países desenvolvidos (como Cingapura e Coreia do Sul). Durante a apresentação, Hastings fez questão de falar sobre a espantosa expansão do serviço:

Enquanto vocês estão aqui me ouvindo falar, o Netflix está funcionando em todos os países do mundo. A única exceção é a China, onde esperamos disponibilizar nossa plataforma no futuro.

Hastings não detalhou sobre os problemas que a empresa está enfrentando na China, nem o fato de também não estar presente na Coreia do Norte, Síria e Crimeia (países que sofrem sanções dos Estados Unidos e que são bem menos significativos que o gigante asiático).  No entanto, foi interessante, pois, na sequência, ele chamou a plataforma de uma rede global de televisão. É claro, se você preferir pode continuar achando que é apenas mais uma companhia de tecnologia que quer dominar o mundo em sua área de atuação.

No evento, o Netflix ainda anunciou produções em vários países do mundo, inclusive no Brasil, e mostrou o trailer de produções que serão lançadas ainda neste ano.

The Get Down, que fala sobre um grupo de adolescentes do Bronx  que vive a transformação e evolução cultural da Nova York dos anos 1970.

The Crown, que fala sobre política, rivalidades e amores vividos pela rainha Elizabeth II que afetaram o curso da história.

Imagem do topo via Getty Images.