Há alguns dias surgiram rumores de que a Nike, após demitir funcionários da área de vestíveis, se preparava para abandonar a produção das pulseiras FuelBand. A empresa confirmou um “pequeno número” de demissões, mas negou a intenção de abandonar a produção de pulseiras inteligentes.

“A Nike+ FuelBand SE permanece sendo uma parte importante dos nossos negócios. Vamos continuar melhorando o Nike+ FuelBand App, lançaremos novas cores METALUXE, e vamos vender e suportar a Nike FuelBand SE no futuro próximo”, disse a Nike ao Re/code, explicando que, ao menos por enquanto, a empresa ainda vê nos vestíveis uma boa oportunidade de negócios.



Segundo o Re/code, a Nike pode não ter decidido ainda se fecha ou não a divisão das pulseiras inteligentes. A fabricante de produtos esportivos gastou muito dinheiro na área, encontrou desafios de fabricação e não conseguiu ainda lucrar muito com a linha FuelBand. E, ainda por cima, sofre para atrair talentos de engenharia de alto nível para o desenvolvimento dos dispositivos.

As pulseiras FuelBand, até o momento, serviram para posicionar a Nike como uma empresa com alguma presença no mundo digital, mas elas estão longe de serem perfeitas. Como falamos no ano passado, elas parecem ser mais estilosas do que realmente inteligentes. Além disso, sofrem com limitação de sistema operacional: são compatíveis apenas com iOS, e até agora nada da Nike preparar uma versão do app ao menos para Android. Com o interesse crescente de gigantes da área nos vestíveis – Google e Apple, por exemplo – até faz sentido que a Nike decida deixar o segmento de lado.

Mas não é o caso – ao menos por enquanto. A Nike deve continuar por mais algum tempo investindo nas suas pulseiras inteligentes – resta agora saber até quando. [Re/code]