Alguns rumores circularam esta semana sobre a venda da Nokia para outra empresa. Primeiro, a chinesa Huawei disse estar “considerando esse tipo de aquisição”; depois, fontes disseram ao Wall Street Journal que a Microsoft queria comprar a finlandesa, mas as negociações não avançaram.

A Nokia está à venda? Bem, não – pelo menos não por enquanto.

Richard Yu, chefe da área de consumidores da Huawei, disse ao Financial Times:

Estamos considerando este tipo de aquisição; talvez a combinação tenha algumas sinergias, mas depende da vontade da Nokia. Nós temos a mente aberta.

Isso fez as ações da finlandesa dispararem 12%, mas a Huawei depois esclareceu que “não tem planos de adquirir a Nokia”.

Por que a Huawei estaria interessada em comprar a empresa? Como aponta o Quartz, não seria exatamente pela área de smartphones: a Huawei já tem uma boa linha, como o finíssimo Ascend P6.

É que a Nokia ainda é a segunda maior fabricante de celulares simples, ficando atrás apenas da Samsung; e consegue manter sua posição com modelos extremamente baratos – o Nokia 105 custa apenas US$ 20 – e adaptando os celulares para cada país. A Huawei poderia, assim, ganhar espaço no mercado de celulares em geral.

A Microsoft aparentemente também se dispôs a comprar a Nokia, mas isso não deve acontecer. Fontes dizem ao Wall Street Journal:

As negociações não avançaram devido ao valor, e devido à posição de mercado em queda da Nokia, entre outras questões, disseram as fontes. Uma das pessoas disse que as negociações aconteceram recentemente, este mês, mas não devem recomeçar.

O rumor é plausível: Nokia e Microsoft são bastante próximas; ambas estão dedicadas ao Windows Phone; e a finlandesa é comandada por Stephen Elop, ex-executivo da Microsoft. Mas como aponta o The Next Web, uma aquisição ainda não faria muito sentido: qual seria o benefício, se elas já são extremamente próximas?

Além disso, este rumor já apareceu antes, há praticamente um ano: o Register dizia que a Microsoft analisou as finanças da Nokia para avaliar quais partes valiam a pena ser adquiridas. Isso teria acontecido no final de 2011; pelo visto, nenhuma parte da empresa valia a pena.

Desde então, a Nokia fechou o ano passado com prejuízo de aproximadamente US$ 4 bilhões, e voltou a ter prejuízo no começo deste ano, apesar da venda recorde dos Lumias.

Todos os rumores, reais ou não, apontam para o futuro da Nokia: caso ela continue a sofrer com prejuízos, ela ficará pequena o bastante para ser adquirida por outra empresa – e como vimos, interessados não faltam. [FT via Bloomberg via Quartz; WSJ via The Next Web]

Foto por Erkka Peitso/Flickr