A Nokia e sua divisão de mapas Navteq estão desenvolvendo um rival para o Street View, um rival que vai oferecer modelos tridimensionais completos de vilarejos, vilas e cidades, e um dia poderia permitir que esses centros urbanos se tornassem o plano de fundo para jogos realistas.

O Street View (imagem acima) foi lançado em 2007 e transformou os mapas online fornecendo vistas panorâmicas de diversas ruas do mundo. Mas apesar de ser um passo rumo à terceira dimensão, o Street View não oferece uma experiência de fato 3D, diz Ville-Veikko Mattila do Nokia Research Centre em Tampere, Finlândia.

O Street View apresenta ao usuário uma série de fotos panorâmicas 2D. "O que estamos desenvolvendo é uma renderização 3D completa de nossos locais e ambientes", diz Mattila. "Isso é uma grande diferença."

Os objetos renderizados no sistema da Nokia irão se parecer mais com os originais do que no Street View, diz Mattila. Mas talvez a forma mais perceptível na qual o serviço da Nokia será diferente do Google é que os usuários poderão andar de forma fluida por ambientes urbanos, quase como se estivessem em um jogos fotorrealista de carro, e a Nokia sugeriu que eles poderiam licenciar os mapas 3D das cidades para empresas de jogos que queiram modelos urbanos 3D baratos mas realistas. Navegar pelo Google Street View, por sua vez, envolve só pular entre panoramas fotografados em uma série de lugares na cidade.

A renderização 3D dos edifícios com precisão no novo sistema vai facilitar a criação de coordenadas 3D para um determinado edifício, ou até mesmo um andar de um prédio comercial ocupado por uma empresa – uma informação que poderia ajudar as empresas a aumentarem o mundo virtual com propagandas específicas ao local, diz a Nokia.

O serviço proposto pela Nokia depende de duas tecnologias: uma para construir um modelo virtual de cidades; e outra para revesti-la com imagens do mundo real. Os modelos 3D que compõem as cidades e edifícios virtuais são construídos com dados do nascente sistema Journey View da Navteq, um conjunto de dados com mensurações de mapeamento feitos pela técnica de radar laser conhecida como lidar. Estes modelos são então cobertos pelo City Scene, software escrito pelo grupo de Mattila que projeta e reúne de forma precisa as fotografias no modelo 3D.

A Navteq já utiliza carros equipados com GPS para criar mapas digitais das estradas do mundo, que ela vende para fabricantes de sistemas de navegação como a Garmin. Mas em novembro, um novo tipo de carro Navteq irá tomar as ruas: o Truecar. "Além de câmeras panorâmicas de maior resolução, os Truecars também terão o radar com laser", disse um porta-voz da Navteq. "Os carros irão para Londres em novembro e depois para grandes cidades da Europa, e os dados irão surgir em produtos de navegação em 2011." 

Ainda estamos para ver se os Truecars serão vistos de forma mais favorável que os carros do Google equipados com câmeras.

A New Scientist reporta, explora e interpreta os resultados das descobertas humanas no contexto da sociedade e da cultura, fornecendo uma cobertura ampla de notícias sobre ciência e tecnologia.