O último relatório do Gartner sobre o mercado de smartphones no Brasil revelou algumas surpresas. Na contramão da tendência mundial, o market share de smartphones com Symbian – que em sua maioria são produzidos pela Nokia – pulou de 38,1% para 54,9%. E o Android, que sequer figurava na lista de sistemas operacionais mais usados há um ano, já abocanha 8% do mercado. Claro que para isso acontecer, alguém tinha que perder espaço. E sobrou para a Apple, que em 12 meses perdeu metade de seu tamanho de mercado no. Entenda os números e o cenário atual dos smartphones no Brasil.

As vendas de iPhone no Brasil caíram no último trimestre. Foram 90 mil aparelhos vendidos para usuários finais, uma queda de 17% em comparação aos 108,2 mil smartphones vendidos no mesmo período do ano passado, segundo o último relatório do Gartner. Mas é importante colocar os números em perspectiva: as vendas de iPhones sempre oscilaram nos últimos dois anos, e o número de 90 mil unidades é o terceiro maior nos últimos sete trimestres. O número mais preocupante é outro: a empresa perdeu grande parte de seu market share. No segundo trimestre de 2009, o iOS, sistema operacional da Apple, tinha 17,2% do mercado brasileiro de smartphones. Já no segundo trimestre deste ano, a fatia foi de apenas 8,5%.

A explicação não poderia ser outra: a chegada do Android no Brasil. Se no segundo trimestre de 2009 o sistema sequer figurava na lista de sistemas operacionais mais vendidos no Brasil, no último trimestre ele teve 8% do mercado, vendendo 84,7 mil aparelhos, bem próximo da Apple. E quem se deu bem com esse salto foi a Motorola, a empresa que mais investiu no sistema do Google por aqui. Foram vendidos 89,5 mil aparelhos da marca, apenas 500 modelos a menos do que a Apple e seus iPhones. O market share das duas empresas está praticamente empatado – 8,5% para a Apple e 8,4% para a Motorola. 

Mas a rainha dos smartphones por aqui continua sendo a Nokia. Mesmo com a ausência de vendas corporativas – o Gartner só levou em consideração a venda para usuário final – os finlandeses têm motivos de sobra para comemorar a participação no Brasil. O Symbian, sistema operacional presente em praticamente todos os smartphones da empresa, vendeu 239,5 mil smartphones no segundo trimestre de 2009 e tinha uma fatia de 38,1% do mercado brasileiro. Em 12 meses, o número de aparelhos vendidos com o sistema saltou para 584,9 mil aparelhos, com um incrível market share de 54,9%, abrindo uma boa vantagem contra a RIM e seus BlackBerries, que perdeu 15% de participação no mercado em um ano. Talvez um dos motivos do sucesso seja a variedade de smartphones da Nokia em funcionalidades e preços: do 5530 e 5800 à família do N97, passando pelos confiáveis E, há muitas opções para quem curte o sistema – e não parece ser pouca gente.

O próximo trimestre pode ser decisivo para as projeções das fabricantes de telefone por aqui. Com a chegada de Androids de baixo custo, a possibilidade de o sistema do Google deixar o iOS para trás e se consolidar no terceiro lugar em venda de smartphones no Brasil é alta. Ao mesmo tempo, a Apple ainda tem seu iPhone 4 como carta na manga para seduzir os consumidores brasileiros. Enquanto isso, a Nokia dá um belo sorriso de orelha a orelha, apenas acompanhando seu crescimento no país e preparando novos aparelhos, como o N8, que deve chegar em breve.