A “nova Nokia” fez um tablet Android com o novo padrão USB reversível

Aquela caixa preta misteriosa da Nokia não era uma set-top box: era a embalagem do novo N1, um tablet Android bem fino que custa só US$ 249.

Aquela caixa preta misteriosa da Nokia não era uma set-top box: era a embalagem do novo N1, um tablet Android bem fino que custa só US$ 249.

O Nokia N1 possui um corpo monobloco de alumínio que envolve a tela IPS de 7,9 polegadas e 2048 x 1536 pixels. Ela conta com a tecnologia “Zero Air Gap”: não há ar entre o vidro e o display, melhorando a legibilidade e reduzindo o reflexo.

Por dentro, temos um processador Intel Atom quad-core 64-bit, 2 GB de RAM e 32 GB de armazenamento, mais bateria de 5.300 mAh. Ele é compatível com MIMO, que acelera a conexão Wi-Fi.

Há dois alto-falantes estéreo, e também duas câmeras: 8 megapixels na traseira, e 5 megapixels na frente. São apenas 6,9 mm de espessura e 318 g.

Ele é um dos primeiros dispositivos a adotar o novo padrão USB reversível chamado Type-C. O conector se encaixa “para cima” ou “para baixo”, e só atinge velocidades de USB 2.0. A Nokia explica ao The Verge que “nosso parceiro não tinha acesso ao tipo de solução” para fornecer suporte a USB 3.1 (com velocidades de até 1,25 GB/s) prometido para o Type-C.

O tablet roda Android 5.0 Lollipop com o Nokia Z Launcher, que a finlandesa lançou este ano: ele organiza seus apps, contatos e páginas da web em uma lista automática, ao ver o que você mais usa em cada momento do dia; e permite abrir apps específicos desenhando letras na tela. Você pode baixá-lo neste link.

A Nokia esclarece ao GigaOM que este tablet roda o Android feito pelo Google – não é um “fork” – e possui acesso à Play Store “nos mercados onde ela está disponível”. Isso inclui diversos países – exceto a China, onde muitos serviços do Google são bloqueados.

Vale notar que este tablet foi desenvolvido pela Nokia, mas não será produzido por ela, já que suas fábricas foram compradas pela Microsoft: é a Foxconn que está encarregada de tudo. O release diz:

A parceira OEM é responsável pela execução completa de negócios, da engenharia e vendas ao atendimento ao cliente, incluindo os passivos e custos de garantia, propriedade intelectual, licenciamento de software e acordos contratuais com terceiros.

O Nokia N1 será lançado inicialmente na China, até o final do ano, e depois na Rússia, Europa e em outros lugares. Saiba mais sobre o tablet aqui: [Nokia N1]

Atualizado às 18h08

Sair da versão mobile