Segundo a consultoria NPD, o número de residências com Macs aumentou em 3 pontos percentuais nos EUA. Faz sentido! O que pode surpreender é que a maioria das residências com Macs também têm PCs.

Diz a NPD:

Cerca de 12% de todas as residências nos EUA que possuem computadores são donas de um Mac, um aumento sobre os 9% de 2008. Apesar de o número de residências com Macs aumentar, a maioria das residências está num ambiente misto de sistemas. Desses 12%, cerca de 85 por cento também possuem um PC com Windows.

À primeira vista, estas estatísticas parecem erradas, mas quando você começa a refletir melhor, elas fazem sentido: a pesquisa trata de residências, que, contando o Compaq da vovó ou o PC para gaming do seu colega de quarto, influenciam nas estatísticas. (Eu digo que moro em uma "residência Mac" — três pessoas que usam apenas Macs — mas o netbook da Acer lá na mesa diz que não.)

Além disso, PCs são mais baratos e são substituídos com menos frequência. E, como Macs são mais caros, eles vão para as mãos de pessoas mais ricas, onde se encontra mais de um computador com mais facilidade. Isto, combinado ao fato de que a maioria dos Macs vendidos nos EUA são laptops, e por isso mais prováveis de serem computadores complementares (e não principais) faz os 85% parecerem mais sensatos. Mas ainda assim: 85 por cento? Fanboys, cadê vocês? [NPD via Macrumors]

FV: e no Brasil? Não sabemos: a maior pesquisa sobre o mercado de computadores do país, conduzida pela IDC, não leva Macs em consideração, apenas PCs.