O Galaxy Note Edge é um smartphone potente no qual a tela se expande até uma das bordas, para exibir notificações e outros itens da interface. Alguns rumores diziam que ele chegaria ao Brasil no início deste ano, e a Samsung acaba de confirmar que ele virá ao país em março.

E quanto vai custar? A empresa não diz, mas pode esperar que ele seja caro, por dois motivos.

Primeiro, ele tem basicamente as mesmas especificações do Galaxy Note 4, que chegou ao Brasil custando R$ 2.899.

O Note Edge possui tela de 5,6 polegadas com resolução 1600 x 2560 e suporte à caneta S Pen, que acompanha o aparelho. Ele tem processador quad-core Snapdragon 805, 3 GB de RAM, 32 GB de armazenamento expansível via microSD, câmera traseira de 16 MP e frontal de 3,7 MP. A bateria é de 3.000 mAh.

Segundo, fontes dizem ao Tecnoblog que o Note Edge será um smartphone “de boutique” no Brasil, repetindo a estratégia da Samsung em TVs top de linha: elas custam uma fortuna para dar uma aura de produto diferenciado.

O diferencial do Note Edge é a tela: a borda direita serve como um display auxiliar, mostrando informações extras ou opções de controle. Por exemplo, ao abrir a tela inicial do Android, você pode fixar seus apps favoritos na lateral. Com o app da câmera aberto, o obturador e outros botões da interface vão para a borda.

Rumores dizem que o Galaxy S6 virá em uma variante “Edge” com tela que se expande por ambas as bordas.

Samsung Galaxy E7

Como é de se esperar da Samsung, o Note Edge não será o único smartphone que a empresa vai lançar no Brasil. Teremos também:

  • o Galaxy E7 (acima), versão não-metálica do Galaxy A5 (também lançado no Brasil) que custará cerca de R$ 1.300;
  • o Galaxy E5, versão não-metálica do Galaxy A3 (também lançado no Brasil) que custará cerca de R$ 1.100;
  • o Galaxy J1, com especificações levemente inferiores ao Moto E e preço na faixa dos R$ 650.

Todos possuem tela Super AMOLED, dual chip e 4G, e também chegam em março. [iG Tecnologia]

Foto por TechStage/Flickr