O sistema de computadores de mesa da Microsoft, o Surface, nunca chegou de fato aos saguões de hotéis ou parques temáticos do jeito que nós esperávamos, mas a próxima geração do sistema foi totalmente redesenhada: menor, talvez mais barato, e usando uma nova tecnologia de toque bem complexa e interessante.

Como o velho Surface, a nova versão usa infravermelho para detecção de toque, mas em vez de usar câmeras por baixo, ele usa uma tecnologia de “sensor de pixels”. Assim, cada pixel é efetivamente uma pequenina câmera. Assim, ela é capaz de fazer coisas absurdas, como a que você vê acima – uma folha de papel em cima do Surface. Obviamente há milhares de possibilidades de novo, desde um tipo de detecção de toque incrivelmente detalhada para algo como um tipo de navegação mais sincronizado e interado com as ações. O processo todo funciona com aceleramento de hardware, e é aberto para desenvolvedores darem seu toque.

A caixa toda é construída pela Samsung, e por trás dos panos agora há um PC com Windows comum, em vez de um hardware específico – que cortou em quatro polegadas a gordura do brinquedo. E agora ele é, acredite ou não, mais prático do que antes – a versão anterior literalmente era do tamanho de uma mesa. Agora ela pode ser usado como um quiosque, em vez de apenas uma mesa plana e grande. E na parte de cima há um acabamento em Gorilla Glass em sua maior forma.

Ainda não é nada que você deva sonhar em colocar na sala – a não ser que você seja sobrinho do Bill Gates – mas é bom saber que a Microsoft está se esforçando bastante para que essa tecnologia pegue.