Astrônomos detectaram uma nova lua orbitando Netuno – a primeira a ser descoberta em mais de uma década – ao estudarem imagens que foram arquivadas em 2009.

A nova lua, conhecida como S/2004 N1, foi descoberta em imagens conseguidas pelo Telescópio Espacial Hubble. Mark Showalter, do Instituto SETI em Mountain View, na Califórnia, se deparou com a lua quando estudava as imagens tiradas em 2009.

Showalter estava estudando imagens dos anéis de Netuno, que são incrivelmente fracos. Mas em vez de usar longa exposição, ele empilhou múltiplas exposições curtas no topo uma das outras – e isso revelou a lua para ele. Sua equipe confirmou a descoberta ao estudar outras imagens de 2004.

A nova lua tem uma órbita quase circular, e viaja ao redor do planeta uma vez a cada 23 horas. Mas cientistas agora estão confusos com a descoberta. A lua é pequena – cerca de 20 quilômetros de diâmetro – e os astrônomos estão surpresos que ela sobreviveu ao período caótico no qual as outras luas de Netuno foram formadas. Como a New Scientist explica:

A maior lua de Netuno, Tritão, tem 2705 quilômetros de largura e orbita para trás – ela viaja na direção oposta à rotação do planeta. Seu tamanho grande e órbita estranha fizeram com que astrônomos acreditassem que Tritão foi capturada pela gravidade de Netuno há cerca de 4 bilhões de anos e que isso destruiu qualquer outra lua que o gigante gasoso tinha anteriormente.

Além da sua existência um tanto confusa, resta mais uma dúvida: qual vai ser o nome da nova lua? Ainda não foi definido, mas luas de Netuno costumam receber nomes de divindades aquáticas da mitologia grega – esperamos algo adequadamente aquático. [New Scientist]

Imagem via NASA