Se vivemos um tempo de discussão sobre privacidade, superexposição e os limites da tecnologia nesse aspecto, a Omo – e a agência de publicidade Bullet – não enxergam isso como algo tão polêmico. Assim, bolaram uma ação de marketing que coloca 50 GPS dentro de caixas de sabão em pó, para o prêmio encontrar o comprador, e não ao contrário. Ou seja, cuidado para onde você vai depois de comprar sua caixa de Omo.

A campanha tem como mote fazer uma brincadeira com a nova fórmula da Omo, as chamadas Partículas de Extra-Limpeza que, segundo a empresa, encontram os vestígios de sujeira nas roupas, facilitando a limpeza. Para divulgar a novidade, a ideia é mostrar como as partículas funcionam, indo atrás do cliente que estiver com o GPS na caixa. Então, depois de fazer umas compras, quando você começar aquele ato bacana de tirar tudo da sacola, existe a possibilidade do pessoal da Omo bater na sua porta –  a chance de um susto é alta, ninguém fica checando o que há dentro da caixa de sabão em pó, mas caso você encontre o GPS, há uma cartinha avisando que você foi um dos escolhidos. Se sua cidade for muito longe, a promessa é de que em horas ou no máximo alguns dias alguém bata em sua porta, já que há 35 equipes em várias cidades, prontas para seguir um sinal de GPS.

Mas, ao contrário do que muita gente pensou, o prêmio não é o GPS. Pelo jeito ele é levado embora depois da brincadeira na porta da sua casa, e você ganha uma camcorder da Kodak, a Zx1, ou uma viagem para o interior de São Paulo, para fazer algum tipo de aventura radical. Para aqueles mais céticos, se a Omo bater na porta e a pessoa não abrir, eles ativam um sistema Buzzer que faz o GPS apitar, mostrando para a pessoa que, sim, essas pessoas sempre souberam em qual gaveta seu sabão em pó esteve guardado e querem te premiar por isso.

Para maior precisão, o GPS usa não só satélite para localização, mas também a rede GPRS e a Wi-Fi, para saber até o apartamento em que a caixa está. Para quem ficou preocupado com o excesso de exposição, a Bullet e a Omo garantem que nenhum dado será revelado sem a autorização do cliente e que não há nenhum tipo de acompanhamento online do aparelho. Eles vão chegar na sua casa, sem você saber o motivo, com uma câmera na mão e muita festinha no apê. Se você for muito rabugento, é só dizer não e fechar a porta na cara. Mesmo assim, a ação chama a atenção e deve deixar muita gente assustada, mas feliz. E você? Se fosse um dos 50 felizardos (ou não) que encontrassem a caixa, reagiria como? [Advertising Age e Brainstorm9; obrigado, Fernando Jorge!]