Se você já usou algum assistente, sabe que qualquer requisição leva tempo: você ativa o recurso via algum comando, faz seu pedido, espera o processamento e aí tem uma resposta. Todo este processo pode ser chato e um pouco demorado, pois queremos que as coisas sejam feitas o mais rápido possível. No entanto, agora o Google quer acabar com a latência nesses pedidos graças a uma atualização do assistente da empresa chamada “Next Generation Assistant” mostrada durante o Google I/O, conferência da empresa para desenvolvedores.

Para resumir e usando as palavras do CEO do Google, Sundar Pichai, a próxima geração do Assistente consiste em colocar um “datacenter dentro do seu smartphone”. Segundo o executivo, a empresa conseguiu reduzir de 100 GB de uso de dados para 0,5 GB para o processamento de requisições localmente. Na prática, isso fará com que um comando de voz seja processado no próprio smartphone em vez de mandar informações para a nuvem.

“Com o Assistente rodando no dispositivo, as respostas são dez vezes mais rápidas que atualmente”, disse Scott Huffman, VP de engenharia do Google para Google Assistente, durante o Google I/O.

Durante demonstração no Google I/O foram feitas várias requisições seguidas que não tiveram  nenhum atraso. “Ei, Google, abrir o calendário, abrir a calculadora, abrir fotos, crie um timer de 10 minutos, como está o tempo hoje, me mostre o perfil de John Legend no Twitter, chame um carro do Lyft para o meu hotel, vamos tirar uma selfie.” A sequência de comandos parece louca, mas foi isso que a companhia mostrou. A ideia era mostrar que a nova versão do Assistente poderia lidar com múltiplas tarefas em diferentes aplicativos.

Em outra demonstração, foi mostrado como a nova geração do Assistente vai lidar com a diferenciação entre comando de voz e ditado. Isso pode ser especialmente importante durante a composição de um e-mail. Então, pense que você fez algum comando do tipo “enviar e-mail pra fulano” e começa a ditar a mensagem. Só que no meio dela, é possível falar, por exemplo, “definir assunto do e-mail para férias nos Estados Unidos”.

As promessas do Google são interessantes e precisam ser provadas na prática para vermos qual é a desses comandos na vida real — as apresentações de empresas de tecnologia costumam prometer muito, mas nem sempre entregar. O recurso também chama a atenção, pois pode melhorar a experiência com comandos de voz, ainda mais agora que o Google tem disponibilizado seu assistente em mais aparelhos (inclusive no mercado brasileiro).

Por ora, apenas os smartphones Google Pixel que serão lançados ainda neste ano devem contar com a “Próxima Geração do Google Assistente”.

Modo direção no Google Maps

Enquanto a nova geração do assistente deve demorar ainda para ser lançada, o Google prometeu um novo modo dirigir para quem usa o Google Maps. Ao abrir o app dentro do carro, ele mostrará um painel de ações baseado em dados do Google Calendário . Então, se você tiver um jantar marcado, ele oferecerá um atalho que iniciará a navegação para o local. A integração com outros apps do Google também facilitará ouvir podcasts. Caso a pessoa tenha começado ouvir num alto-falante inteligente e queira continuar escutando no carro, terá lá um atalho para isso.

Novo modo dirigir no Google Maps

Outro ponto que deve facilitar a vida dos motoristas é que neste modo, o app facilitará o gerenciamento de chamadas. Então, durante uma rota, caso alguém ligue, o Google Maps perguntará: “chamada de fulano, pretende atender?”. Segundo a demonstração, a chamada não ocupará toda a tela, então será possível controlar todo o processo por voz e continuar vendo na tela o trajeto.

Este novo recurso do Google Maps será liberado mundialmente durante o verão no hemisfério norte, portanto entre junho e setembro.