por Bruno Izidro

No início dos anos 2000 eu descobri um anime chamado Initial D e, com ele, a prática do Drift. A forma quase mágica com que o desenho japonês mostrava um simples derrapar de carros em curvas me fascinava e constantemente me pegava tentando replicar isso em jogos de corrida.



Porém, na época, a sensação do momento era Need for Speed: Underground, um jogo que estava bem mais próximo aos primeiros filmes Velozes e Furiosos, com seus neons e carros rebaixados. Alguns anos depois, foi justamente o terceiro filme de Velozes e Furiosos, Tokyo Drift (Desafio em Tóquio no Brasil) que me fez despertar mais uma vez para o mundo das derrapadas.

Mas por que conto isso? Porque foi justamente Initial D e Tokyo Drift que marcaram as primeiras impressões que tive no novo Need for Speed. Pouco antes de ser lançado para PS4 e Xbox One, no último dia 3 de novembro, o jogo de corrida foi liberado para teste no EA Access, o programa de assinatura dos jogos da EA no Xbox One, onde era possível testá-lo por até 10 horas.

A primeira coisa a ser dita sobre ele é que, como game de corrida, Need for Speed é um ótimo filme de carros ou, pelo menos, de pessoas que gostam de velocidade. O que chama a atenção logo de cara é como a história é contada por meio de cenas utilizando atores reais. É aí que Tokyo Drift entra.

Vejam, por exemplo, a abertura do jogo:

Atuações canastronas, típicas de filmes B e essa sensação estranha de primeira pessoa. Não, eu não estou reclamando, eu estava achando tudo realmente incrível (e cômico). Agora percebam as semelhanças com essa cena de Tokyo Drift:

O cara novo na cidade vai para uma festa e encontra os outros personagens da história. Check. No final, acaba em uma oficina onde arranja um novo carro. Check. A diferença só está mesmo nas ambientações. Enquanto um se passa em Tóquio, o outro é na fictícia Ventura Bay, um lugar onde sempre é noite, o trânsito é inexistente e as chuvas são constantes, só para mostrar nos efeitos de iluminação e reflexos do asfalto o poder gráfico de um jogo de atual geração.

O novo Need for Speed tem como novidade deixar cada jogador correr ao seu modo: os que preferem velocidade, aqueles que gostam de perseguição policiais, os que tunam o carro até virar árvore de natal ou os que preferem sair no estilo com Drifts.

Até então eu tinha experimentado um pouco de tudo, até porque as regulagens para deixar o carro mais estável ou mais fácil para drifts são bem práticas no jogo. Porém, quando me deparei com uma prova de Drift de descida de montanha, passei a só me dedicar às derrapagens.

O cenário parecia ter saído direto de um dos episódios de Initial D, com curvas fechadas e traçado propício para os drifts. Se só isso já não fosse o suficiente para me motivar, um dos primeiros carros que se pode comprar no jogo é um Toyota GT Apex 1986 Trueno, justamente o modelo usado pelo protagonista do anime.

Trueno_need_initial

A partir de então, as minhas horas no teste de Need for Speed foram resumidas a várias tentativas até consegui o drift perfeito em todas as curvas da descida. Nessa hora, o jogo mostrou sua qualidade ao diferenciar as derrapagens feitas com o freio normal (no gatilho esquerdo do controle) das realizadas com o freio de mão (no botão X do Xbox One).

Talvez a única peça que faltava para deixar o momento perfeito fosse uma trilha de Eurobeat dos anos 1990, típicas do desenho – seriam um bom estímulo. Infelizmente a trilha sonora do jogo é basicamente de música eletrônica moderna… mas nada que uma edição não resolva:

Posso dizer que foi um tempo bem gasto e proveitoso que há muito tempo Need for Speed não me proporcionava.

Após pular 2014 sem nenhum jogo, Need for Speed retorna para tentar reconquistar o lugar de jogo de corrida arcade divertido do passado, e que foi se perdendo com versões medianas nos últimos anos. O novo jogo ainda tem algumas características para ficar com o pé quase pisando no freio, como a necessidade de estar online para jogar, mas pelo menos está bem divertido e conseguindo englobar vários estilos de pilotagem em um só pacote.

Need for Speed já está disponível para PS4 e Xbox One. Atualizado: a versão para PC só deve sair no início de 2016 e não esse mês como estava escrito anteriormente.