Boa parte das empresas de tecnologia se esforça para oferecem serviços de acessibilidade para ajudar pessoas com deficiência visual. Porém, as iniciativas, na maioria das vezes, são diferentes umas das outras, o que pode prejudicar a adaptação dessas pessoas. No entanto, um novo esforço da indústria está prestes a mudar isso.

A USB-IF (USB Implementers Forum) anunciou nesta quinta-feira (31) que desenvolveu um padrão para displays braille (ou linha braille) — apoiado por grandes empresas como Microsoft, Apple e Google — que facilitará a vida de deficientes visuais, de modo que eles não precisam procurar softwares customizados para diferentes sistemas operacionais ou leitores eletrônicos.

Talkative: o app brasileiro criado para auxiliar pessoas com dificuldades de comunicação
• Um novo app do Google permite controlar o Android usando apenas sua voz

O display braille (imagem do topo) nada mais é que um sistema leitor de tela que roda em segundo plano em um computador. Assim, o usuário pode solicitar que o programa fale com ele ou mostre a representação de uma palavra no dispositivo. A USB-IF esteve envolvida no processo, pois é uma entidade que auxilia no desenvolvimento de padrões e promove a adoção e implementação da tecnologia USB — utilizada em vários aparelhos display braille.

Eles criaram um novo padrão de HID (Human Interface Device ou Dispositivo de Interface Humana) para telas braille. A ideia é torná-la fácil de funcionar em diferentes sistemas operacionais — daí o apoio de gigantes da tecnologia — a tal ponto que basta essas pessoas plugarem um dispositivo de tela braille e já começar a utilizar.

“O novo padrão de telas braille vão diminuir o problema de comunicação entre pessoas com deficiência visual ou surdo-mudas em comparação com pessoas com visão e audição”, disse Joseph Bruno, presidente da Helen Keller Services (uma instituição que luta pela inclusão de deficientes nos EUA), em um comunicado. “Permite que essas pessoas se conectam mais facilmente com seus dispositivos favoritos, o que é um grande passo em ajudá-los a se conectarem com o mundo ao redor deles.”

Ainda que tenha recebido apoio das principais empresas de tecnologia, por ora, só a Microsoft deu uma previsão mais concreta sobre a disponibilidade desse recurso para deficientes visuais. A companhia acredita que desenvolvedores começarão a adotar o novo padrão no próximo ano.

Imagem do topo por Microsoft