Assim como a CES 2011, a Mobile World Congress, que está acontecendo em Barcelona, também está lotada de novos concorrentes para o iPad. LG, Motorola, Samsung e várias outras empresas estão apresentando seus novos tablétes eletrônicos. Mas assim que a empolgação pelos processadores dual-core e o Android 3.0 passa, vem a triste realidade. Tudo indica que eles custarão bem mais do que um bolso comum aguenta.

Os números estarrecedores começaram pelo Xoom, da Motorola. Em um primeiro instante, seu preço vazado pela Best Buy estava na casa dos U$800, o que já assustou muita gente. Mas um novo vazamento obtido pelo Engadget mostra o tablet custando U$1.200 – valor que pode ser apenas para “guardar lugar na fila”, seja lá o que isso signifique. Mesmo que ele fique na casa dos U$800, ele é quase tão caro quanto a versão topo de linha do iPad atual.

Agora é a vez da LG e de seu Optimus Pad. Tela de 8,9 polegadas, câmera que tira fotos 3D, processador dual-core, Honeycomb… O pacote necessário para derrubar queixos. O problema é que ele já tem preço confirmado na Alemanha, e ele não é nada bom: 999 euros, ou cerca de U$1.350 dólares – mesmo tirando os 19% de impostos que a Alemanha tem como padrão, ele fica ainda na casa dos mil dólares.

O primeiro iPad já está defasado em hardware em relação aos novos concorrentes, mas é impossível negar que ele foi o carro-chefe do novo mercado. E a Apple que escolheu o preço a ser pago por um tablet. Não parece um caminho muito interessante cobrar quase o dobro por um concorrente direto. Mesmo nós, os mais malucos por tecnologia, ainda levamos (e muito!) em conta o preço na hora de decidir uma compra. Imagine só o usuário mais comum, que mal sabe o que é Android? [Engadget]