Um grupo foi denunciado pelo MP-GO (Ministério Público do Estado de Goiás) por esquema de fraude para obtenção de cartões de crédito do Nubank. Para aplicar o golpe, eles utilizavam carteiras de motoristas falsas.

• Golpe em clientes do cartão sem anuidade Pag! gerou fraudes de até R$ 10 mil
• Nubank, GuiaBolso e Geru: as startups brasileiras em ranking mundial de fintechs

O esquema aconteceu entre 2016 e 2017 e só era possível porque Giovani da Silva Martins, funcionário do Detran-GO, conseguia acesso a dados de motoristas. As informações legítimas eram repassadas para Josemar Alves Soares, que falsificava CNHs com fotos 3×4 de pessoas cooptadas por Bruno Menezes de Godoi e Paula Aparecida Alves para participar do golpe.

Com a carteira de motorista falsa em mãos, as pessoas cooptadas solicitavam os cartões do Nubank. Para aprovar o cadastro, a fintech pede uma selfie do usuário com o documento visível.

O MP-GO diz em nota que, uma vez que o cartão era aprovado, ele era repassado para Josemar. Com o limite, ele comprava cerveja e revendia em Padre Bernardo (GO). Parte do dinheiro era dividida com as pessoas que participavam do esquema.

Josemar, Giovani, Paula e Bruno foram denunciados por estelionato, associação criminosa, falsificação de documento público e lavagem de dinheiro. Pelo menos mais 30 pessoas participaram do esquema, fornecendo seus celulares e fotos ou cooptando mais pessoas.

Como aponta o Tecnoblog, o Detran-GO disse ao Mais Goiás que Giovani foi exonerado em maio de 2017 e que “a gerência de auditoria da autarquia está solicitando acesso a denúncia ao MP para instaurar processo administrativo”.

O Gizmodo Brasil entrou em contato com a assessoria do Nubank, que nos enviou a seguinte nota:

Não comentamos casos isolados de segurança para não incentivar comportamentos maliciosos e proteger os nossos clientes. Podemos afirmar que nosso processo de verificação de identidade conta com diversos mecanismos antifraude com alto nível de assertividade para oferecermos um dos processos mais seguros e efetivos do mercado sem comprometer a experiência do usuário, que segue simples, rápida e transparente, e que continuaremos colaborando com as autoridades sempre que for possível auxiliar no combate a atividades criminosas.

[Tecnoblog, MP-GO]

Imagem do topo: Nubank/Divulgação