Se você está pensando em comprar um notebook agora, não faça isso. É, não compre. Estamos em um ponto singular da história, onde estranhos e maravilhosos novos hardwares e plataformas revolucionárias de todos os tipos surgirão ao longo dos próximos meses — no Brasil, talvez com um pouco de atraso, mas aqui isso também acontecerá.

Precisa de provas? Veja por que você precisa esperar.



I’m a Mac

A WWDC, conferência anual para desenvolvedores da Apple, começa na próxima segunda e temos ouvido já tem um tempo que a Apple faria mudanças drásticas em sua linha de MacBooks Pro. Não será apenas uma melhorada nas especificações, mas uma reformulação maciça. O MacBook Pro 2012 provavelmente virá com o Ivy Bridge, o que proporcionará um salto de 30% no desempenho da placa de vídeo integrada. É quase certo também que os HDs sairão para darem lugar ao SSD, o que se traduzirá em mais velocidade e maior autonomia. E a Apple também evitará tecnologias legadas, deixando apenas portas USB e Thunderbolt e um leitor de cartões SD, fazendo com que ele se pareça mais com o Air. Uma tela melhor e gráficos atualizados também são esperados.

Mas além das mudanças internas, há rumores de que o corpo do MacBook Pro sofrerá a sua primeira repaginada em anos. Ele será mais fino, mais leve e mais agradável aos olhos.

Prefere ultraportáteis ou desktops? Você deveria segurar a onda também. A atualização da semana que vem corre o risco de ser mais grandiosa do que se esperava; aparentemente quase toda a linha de Macs ganhará um reinício. Há relatos de que a Apple tem MacBooks Air, iMacs e Macs Pro debaixo de suas asas prontos para se juntarem aos novos MacBooks Pro.

E todos esses caras deverão sair de fábrica já com o Mountain Lion, a última versão do sistema da Apple que lembra bastante a sua plataforma móvel — outro passo no caminho de convergência entre iOS e OS X. Ainda que, óbvio, nada disso esteja confirmado, mas é bastante provável que exista uma montanha de novas máquinas vindo da Apple.

I’m a PC

Os fãs de Windows têm ainda mais razões para empolgação e um monte de pequenas interrogações. Nesta semana está rolando a Computex, o que significa que há um carregamento de novos computadores caindo nos nossos colos. Já vimos máquinas de praticamente todas as grandes fabricantes: Lenovo X1 Carbon, Fujitsu Lifebook U772, Dell Inspiron 14Z, Acer Aspire S7, ASUS Transformer Book, HP Envy 4 e mais. E isso é só o começo.

E muitas dessas máquinas também virão com Ivy Bridge, a terceira geração de processadores Intel. Em um post em seu blog semana passada, a Intel disse que tem conhecimento de 110 ultrabooks Ivy Bridge em produção, ainda mais do que os que conseguimos ver nos dois primeiros dias de Computex. E por que vale a pena esperar pelo Ivy Bridge nos ultrabooks? A Intel especificou que eles são finos — menos de 18mm de espessura para telas com menos de 14″ e menos de 21mm se a tela for maior do que 14″. Mas mais que isso, eles são mais poderosos, mais seguros, mais responsivos e têm maior autonomia e portas de entrada/saída mais velozes (USB 3.0 ou Thunderbolt). Não temos datas de lançamento precisas, mas sabemos que são iminentes, o que casa com a ideia difusa de “esperar.”

O outro grande elefante prestes a entrar na sala é o Windows 8, apenas a alguns meses de chegar às prateleiras. A Microsoft está, em essência, renovando as entranhas da sua venerável plataforma e o novo visual é fantástico. Pelo que pudemos ver no Release Preview, ele é lindo, mas não deve chegar até a primavera. Você poderá fazer a atualização mediante uma pequena taxa, claro. Mas por que não se livrar da dor de cabeça da atualização e pegar o Windows 8 já instalado?

I’m a Weirdo

Talvez a melhor coisa sobre o Windows 8 é que ele permite todos os tipos de máquinas não convencionais. Vimos um bando de máquinas híbridas com duas telas na Computex, como o ASUS Taichi, e um monte de outros produtos que casam tablets e ultrabooks. A ASUS está, na verdade, trazendo diversos membros para o seu clube dos desajustados, como o Tablet 600, um tablet com Tegra 3 e teclado destacável, e o Transformer Book, um notebook que se transforma em tablet — ou um tablet que se transforma em notebook. Ambos também são baseados no Windows 8, então se você estiver interessado nessa nova raça mutante, terá que esperar um tiquinho.

E a Computex não é a única fonte de bizarrices da qual esses híbridos jorram. A Toshiba, também nesta semana, demonstrou o Satellite U845W, um ultrabook super-wide adaptado para assistir a filmes e TV e propiciar uma multitarefa melhor. Começa a ser vendido, lá fora, mês que vem.

Conclusão

Não importa o que você queira, você estará melhor esperando. Com esses três dias que restam da Computex, a WWDC ali na esquina e mais tempo antes que a Microsoft de fato libere o novo Windows, temos muita coisa para analisar. Gaste o seu dinheiro agora, e você experimentará a mesma sensação daquela criança que ganha algo que não queria no Natal apenas para ver seus amigos exibirem seus brinquedos novos e legais no recomeço das aulas.

E, sinceramente, se nenhuma dessas coisas incríveis exerce algum apelo em você, ainda assim seria tolice comprar um notebook agora. No momento em que esses novos computadores estiverem à venda, o preço dos atuais cairá. Então ainda que essas novidades não o instiguem, você estará melhor esperando e economizando algumas centenas de reais. A paciência vale a pena, especialmente se você estiver procurando por um notebook neste momento e mesmo no Brasil, onde quase sempre o prazo de espera pelas novidades tecnológicas é maior que nos EUA.