O espanhol Alberto Pardo Touceda, 33, mora em Estrasburgo, na França, e teve uma surpresa quando abriu o Facebook na tarde deste domingo (15). Em seu mural, tinha várias mensagens de condolências do tipo “descanse em paz” ou “sempre nos lembraremos de você”.

>>> Como foi criado o símbolo que representa a esperança após os atentados de Paris
>>> Terrorismo faz o cotidiano da cidade como refém. Como lidar com isso?

O fato é que Alberto Pardo Touceda apareceu na lista oficial de mortos na casa de espetáculos Bataclan, em Paris, após os atentados terroristas na última sexta-feira (13). Toda a imprensa espanhola noticiou o fato. Em busca de informações sobre a vítima para um obituário, o El País começou a vasculhar a vida dele no Facebook e o informou sobre o mal-entendido na tarde deste domingo.

Enquanto isso, seus pais já tinham sido notificados pela polícia espanhola sobre a “morte”. A casa de Pilar Touceda, mãe de Alberto, já estava cheia de parentes, quando uma prima verificou o Facebook e viu uma postagem do então falecido dizendo que estava vivo. Ele escreveu o seguinte, segundo relata o EL País:

Sei lá… Eu vejo a mim mesmo neste momento e diria que estou vivo… Mas se vocês continuarem escrevendo coisas tão bonitas sobre mim, talvez eu tenha de morrer para não deixá-los mal… Além do mais, se o EL PAÍS está dizendo, deve ser verdade (…). Puxa, que pressão precisar desmentir a própria morte, pensei em alguma brincadeira que marcasse o momento para sempre, mas achei melhor livrá-los dessa sensação de merda o antes possível era prioritário

No fim das contas, Alberto não tinha saído de Estrasburgo, e seu telefone estava desligado e fora da área de cobertura — o que impediu qualquer tipo de comunicação. Para piorar, ele não é dos usuários mais ativos do Facebook. Ele chuta que o mal-entendido ocorreu por causa de sua carteira de identidade, que tinha sido roubada há alguns anos.

[EL País]

Imagem: Reprodução/Facebook