Fato: a internet existe, e boa parte das pessoas vão baixar de graça tudo aquilo que elas puderem baixar de graça, mesmo que aquilo custe dinheiro. Isso não é notícia. Notícia é quando um autor de uma obra pirateada dá um show de como lidar com isso. E sai lucrando.

Steve Lieber, junto com seu colega Jeff Parker, lançou recentemente uma graphic novel independente chamada Undergroud, que pouco depois teve todas as suas páginas escaneadas e disponibilizadas no 4chan, um forte candidato ao título de local mais inóspito da internet.

Quando Lieber encontrou o tópico onde estava rolando a distribuição gratuita daquilo que ele pretendia vender e lucrar em cima, o que ele diz?

"O que eu posso dizer? Eu sei que é assim que as coisas funcionam, e tento viver na mesma década que o resto do mundo. Ao menos eu fico honrado por alguém ter curtido o livro o suficiente para escanear todas as páginas e compartilhar com os outros."

Este é só um trecho da primeira postagem que ele fez no tópico (que ficou guardado para posteridade aqui), onde ele também aproveitou para responder a um comentário que outra pessoa havia feito, sobre o final da história ser meio apressado.

Nesse momento o tópico virou algo completamente diferente. O autor da obra pirateada se misturou aos pirateiros, conversou com eles, respondeu perguntas, brincou, se divertiu, aceitando que essa é a realidade do seu negócio.

Depois, no site oficial da graphic novel, ele disse que acabou de participar de uma discussão "genuinamente fascinante", que "fez um cachorro velho aprender novos truques".

Este tal novo truque acabou sendo colocar a obra inteira para download gratuito oficial em PDF ou CBT, pedindo por uma doação espontânea de algo em torno de cinco dólares de quem tivesse gostado do que leu. Quem quiser ir além, pode comprar uma cópia física autografada. Se funcionou? Esta imagem vai te dizer se funcionou:

Como é bom saber que nem todo mundo é o Gene Simmons. [Omelete, Comics Alliance]

O Gizmodo Brasil pode ganhar comissão sobre as vendas. Os preços são obtidos automaticamente por meio de uma API e podem estar defasados em relação à Amazon.