Ano passado foi mesmo o ano do Foursquare, como você estar bem ciente se tem amigos com smartphone. Eles chegam com você num lugar e, sem nenhuma cerimônia, puxam o telefone “pra dar check-in”. E foram quase 400 milhões deles ano passado – veja estes e outros números a seguir.

381.576.305 check-ins, sendo 30.525 no mesmo dia e lugar, e inclusive um no espaço. São números impressionantes, mas não são os dados mais curiosos. Por exemplo: você sabia que a categoria de local mais popular, de longe, é a “Food and Drink”, e que os dois locais mais populares do mundo dentro dessa categoria são mercados de rua que vendem produtos orgânicos? Ou que a galeria de arte mais visitada pelos usuários é o Museu de Arte Moderna em Nova York? Isso diz um bocado sobre o tipo de usuário médio do Foursquare atualmente. Quando te disserem que o serviço é coisa de “hipster”, talvez não estejam tão errados.

No entanto, essa talvez seja uma realidade maior lá fora. Aqui no Brasil, o que eu vejo bastante são pessoas que usam de maneira desenfreada, abusando do aspecto jogo da coisa. Querem todos os badges e querem estar em primeiro nas leaderboards e não descansam enquanto não se tornam mayors dos seus lugares favoritos, por isso fazem check-in em lugares totalmente aleatórios, como farmácias, padarias e até engarrafamentos. Quando você para num posto para botar 20 reais de gasolina no carro a caminho do trabalho e dá check-in no dito posto, acho que você tem um problema (ainda que seja um problema compartilhado por um bom número de outros usuários aqui no Brasil).

Eu acho que há maneiras genuinamente interessantes de usar o Foursquare – ou “4sq”, como é apelidado pelos usuários. Eu, por exemplo, faço check-in geralmente em lugares onde algum amigo possa estar por perto e receber o aviso do check-in pelo Twitter. Já encontrei pessoas assim, é divertido. Outros usos legais que vejo as pessoas fazendo é dar uma lida nas dicas (Tips) deixadas por outros usuários quando estão em um lugar novo, especialmente onde se come, para saber o que as pessoas recomendam ou não sobre o lugar, ou então usar o recurso To-Do para montar uma lista de lugares que você ainda quer conhecer na sua cidade.

E você? Usa o Foursquare, ou tem vontade? Acha que em 2011 ele vai crescer ainda mais? Seus amigos usam? De que forma? Comente aí, vamos bater um papo. [Foursquare]