Você acha que, quando a Apple baniu o Flash do iPhone e iPad, eles baniram a Adobe junto? Ledo engano! Desde então, a Adobe criou uma ferramenta para revistas digitais – usada na Wired para iPad – e outra ferramenta para converter Flash em apps para iOS. E Lee Brimelow, evangelista da Adobe, conta que o jogo Machinarium – o app mais vendido no iPad – foi feito em Flash.

Machinarium (baixe-o aqui) é um jogo de aventura, onde você controla um robô que precisa voltar à cidade de Machinarium para resgatar a namorada e derrotar os vilões que tomaram a cidade. Para isso, “os jogadores devem usar lógica, coletar itens importantes e resolver enigmas no ambiente”, como diz a Amanita Design, desenvolvedora que criou o jogo.

O jogo foi criado em Flash e uma versão demo circula na web há um bom tempo. Mas a Amanita Design resolveu lançá-lo para iPad, usando o Adobe Air e uma ferramenta chamada Flash Builder 4.5. Existe todo um complicado processo para transformar um jogo em Flash em app para iOS, que transforma cliques em toques e multitoques.

Em 8 de setembro, Machinarium foi lançado por US$5 apenas para iPad 2, provavelmente por ser mais pesado (por causa do Flash). No dia seguinte, ele já era o app para iPad mais vendido da App Store. E o jogo parece ser mesmo incrível:

O Flash como plug-in de navegador talvez seja mais um problema que uma solução em smartphones e tablets. Mas, para criar apps e principalmente jogos, o Flash ainda tem o seu lugar. [Lee Brimelow via The Next Web via Rodrigo Ghedin]