Se você fizesse uma lista das coisas que o Steve Jobs não se importa de ignorar completamente, a placa do seu carro ficaria muito bem colocada, perto de vagas para deficientes, ternos, gravatas e pedidos dos consumidores. As provas estão espalhadas pelo Flickr.

Seu Mercedes-Benz SL55 AMG, ano 2007, já foi fotografado diversas vezes desemplacado. 

A única coisa mais abundante que as fotos são as teorias sobre como o mais notório anti-placas do Vale do Silício consegue gerar o campo de distorção de códigos veiculares.

Alguns dizem que a ausência da placa tem relação com algumas concessões de privacidade. Outros insistem que fanboys mais radicais roubam as placas sempre que conseguem. Estes são geralmente os mesmos caras que falam de algum código de barras futurista cedido pelo Estado, acordos secretos com um braço secreto do DMV, órgão regulador de trânsito dos EUA, ou mesmo sobre um exclusivo mecanismo retrator de placa construído pela própria Apple. Nada, nada disso.

A realidade é menos James Bond e mais Lâmina de Occam. Sim, o homem paga um caminhão de impostos para o governo todo ano, mas nem mesmo uma conta bancária tão gorda e um carisma atordoante garantem a ninguém uma vista grossa por parte da lei. Pergunte à Kim Kardashian.

Então como Jobs faz isso? Apostando nas probabilidades.

***

"Não importa se você é a Lindsay Lohan ou o governador Schwarzenegger, você precisa exibir a placa do carro, sob o risco de ser guinchado ou multado", diz Jan Mendoza, porta-voz estadual do DMV. 

Esta foi a frase repetidamente ecoada pelos oficiais do CHP (a polícia rodoviária da Califórnia), advogados de trânsito e oficias do DMV. Um precedente legal se mostrou difícil de encontrar, e ninguém conseguiu bolar nem mesmo uma situação hipotética em que um cidadão, independente de credo, raça, tipo físico ou tamanho de conta bancária, pudesse sair ileso com o ato de esconder a placa do seu carro. 

"Simplesmente não aconteceria", diz Mendoza sobre uma permissão para isso. 

Ok. Mas analisando as nuances da legislação estadual, da regulamentação de trânsito e alguns registros públicos, o caso da perpetuamente perdida placa do carro do Steve Jobs fica menos misterioso.

***

Primeiro, deve ser citado que na verdade é legal dirigir sem placa no estado da Califórnia. Por 90 dias. As revendas de carros geralmente têm 30 dias para processar os papéis de registro com o DMV quando alguém compra um carro novo ou usado. Depois disso, eles ainda podem demorar de 4 a 6 semanas para serem entregues ao novo dono do carro. Sim, neste ínterim você precisa exibir uma etiqueta de registro temporária no lado do motorista do parabrisa, mas isso dá uma folguinha para o uso da placa. 

A maioria dos policiais de trânsito admitiram geralmente não agir com muita determinação frente a um carro sem placa, usando muitas vezes apenas como desculpa para mandar um carro já suspeito encostar. 

"Normalmente, um oficial não manda um carro aparentemente novo encostar só para verificar o registro temporário", diz o delegado Gregory Talyor, de Santa Clara. 

"Francamente, nós temos coisas melhores para fazer no nosso tempo", diz a policial Sandra Powell, de Cupertino. 

E outra: mesmo se você for pego pelos puliça por não estar exibindo a sua placa, as consequências são extremamente brandas. A multa pode chegar a US$ 65 (assumindo que o carro está todo em ordem fora isso), mas na maior parte das vezes o que você ganharia é algo que é conhecido como "fix-it ticket" (tradução aproximada: "aviso de arruma esse troço aí, meu"), que é essencialmente uma palmadinha leve: você regulariza a situação e depois paga apenas simbólicos dez dólares. 

***

Registros públicos apenas reforçam o fato de que Jobs não tem nenhum problema em andar por aí sem placa. Uma busca completa nos registros de trânsito de Santa Clara (onde ele mora) e adjacências mostra que o CEO conseguiu evitar multas relacionadas à placa pelos últimos quatro anos. Pelo menos. As cortes dos condados de Santa Clara, San Mateo e San Francisco não mostram nenhum registro de Jobs jamais ter sido pego por não mostrar a placa do seu carro. Nenhunzinho.

De fato, Jobs só foi pego duas vezes desde 2006, ambas por excesso de velocidade e ambas no condado de Santa Clara. Uma dessas foi liberada depois um pequeno curso de trânsito, e a outra foi paga. Uma terceira infração, mais misteriosa, está no nome da Apple Inc., em 2007, por falta de registro, mas foi mais tarde liberada por "evidência de correção". 

O único problema que Steve parece ter com infrações envolve a sua tendência a estacionar nas vagas de deficiente do campus da Apple. Não descobrimos nenhuma prova disso nas nossas buscas nos registros públicos, mas um oficial diz que ele visitou o campus de Cupertino diversas vezes respondendo à reclamações dos empregados a respeito de uma certa Mercedes (curiosamente sem placa) estacionada na área de deficientes. 

O que é estranho, porque seria de se pensar que o cara teria reservado para si uma vaga gigante, ao lado da porta, toda em alumínio escovado.

Ironicamente, a ausência da placa nos revelou um dado sólido que usamos bastante: o VIN (Número de Identificação Veicular) do carro. Comprado novo (duh) em 2006, o SL55 tem aproximadamente 35.000km rodados no início deste mês. Isso significa que Jobs dirige, em média, 8.850km por ano – bem abaixo da média de 19.300km atingida pelos americanos. Por que isso é importante? Simplesmente porque isso significa que Jobs não dirige muito (ao menos não neste carro), e isso significa menor probabilidade de ser pego por causa da falta de placa. 

O percurso entre a sua casa em Palo Alto até o campus de Cupertino é de aproximadamente 35km. Supondo que ele vai ao escritório 3 ou 4 vezes por semana, isso daria pelo menos 5.600km por ano, provavelmente bem mais; Jobs é um notório workaholic e microgerenciador. (Porém, para ser justo, é verdade que ele estava doente e ficou fora do estado por um bom pedaço do ano passado.) E se ele precisar fazer a ocasional viagem de mais ou menos 80km até o seu outro escritório, na Pixar, tem um aplicativo pra isso: chama-se helicóptero. Isso deixa meros 3.200km por ano de sobra para encontros "aleatórios" com Eric Schmidt e pulinhos ao Yerba Buena ou ao Moscone Center para mostrar algo mágico e revolucionário. 

Para grandes eventos como estes – que, dada a baixa quilometragem do carro, são provavelmente as maiores viagens que ele faz – a segurança interna da empresa sempre trabalha bem próxima à polícia, que bloqueia cruzamentos e redireciona o tráfego para assegurar que a principal estrela da Apple não se fique presa no trânsito notório de San Francisco. Nestes casos, pode ter certeza que os oficiais de trânsito sabem muito bem de quem é aquele Mercedes prateado, e não estão interessados em soltar uma multa. 

A coisa estranha dessa história toda é que a falta de placa no carro do CEO sempre foi algo a serviço do anonimato. Como um ex-empregado da Apple citou, o fato de agora ser de conhecimento comum que Jobs dirige um carro sem placa anula completamente qualquer benefício de anonimato que ele pudesse conseguir. Em suas palavras, "isso alcança exatamente o efeito oposto ao que qualquer gerente de segurança desejaria". 

E este é o grande paradoxo do mistério. Não ter uma placa torna o carro de Jobs tão suspeito e identificável quanto, digamos, um homem que sempre veste blusa de lã preta, jeans e um tênis New Balance. 

É claro que tudo isso leva a uma pergunta ainda maior e mais enigmática. Em um estado em que Mercedes SL55 são uma visão bem comum nas ruas e onde nenhuma informação pessoal pode ser adquirida utilizando-se a placa de um carro, o ato de colocar uma placa naquele carro seria de fato a melhor opção para alcançar o anonimato. 

Então talvez exista outro motivo para a aversão de jobs para os retângulos metálicos com números. Ele pode muito bem estar fazendo isso para aumentar a mística ao redor da sua persona.

Neste caso… esperto. Muito esperto.