O Netflix diz estar em 190 países do mundo. Porém, parece que a companhia não está nada feliz com os usuários que burlam os sistemas da empresa para ver o acervo de filmes de outros países.

>>> Netflix anuncia presença em 130 países, cobrindo quase o mundo todo — menos a China
>>> Netflix agora permite pagar assinatura através de cartão pré-pago

Nas próximas semanas, o Netflix informou em um blog post que vai passar a bloquear esses acessos de pessoas que fingem estar em outros países, utilizando proxies ou “desbloqueadores”, como VPNs. Quem tentar acessar, será redirecionado para o acervo de seu país de origem. A seguir, o que diz o a companhia:

Alguns assinantes usam proxies ou “desbloqueadores” para acessar títulos disponíveis fora de seu território. Para consertar isso, nós empregamos formas parecidas ou iguais às adotadas por outras companhias. A tecnologia continua a progredir, e nós também. Isso significa que nas próximas semanas, aqueles que usam proxies e desbloqueadores vão conseguir acessar apenas conteúdos disponíveis em seu país.

Este tipo de ação parece ter relação com a pressão de de estúdios e parceiros de conteúdo que licenciam suas obras para a plataforma de streaming. Segundo a Variety, o acesso a vídeos feitos de territórios onde não são licenciados pode colidir com outros acordos de distribuição nessas áreas.

A prática de enganar o sistema é tão comum que um levantamento da GlobalWebIndex, de janeiro de 2015, apontou que 30 milhões de pessoas que não tinham Netflix em seus países acessaram a plataforma. Do total, 21,6 milhões dos acessos eram provenientes da China — um dos poucos países do mundo onde a empresa não atua.

A empresa não especificou uma data para aplicação da política e nem detalhes técnicos de como será esse bloqueio de acessos de intrusos ao acervo de outros países.

[Variety e Netflix]

Imagem por Marcio Jose Sanchez/AP