É difícil a vida de alguém que gosta de livros eletrônicos no Brasil. Além de pagarmos mais caro por um download de menos de 1 MB do que a versão de papel (bits, como sabemos, são mais pesados que celulose), nós sofremos com o frete demorado, provavelmente por causa da péssima condição das estradas brasileiras, digitais ou analógicas. Hoje, por exemplo, resolvi testar o serviço da recém-inaugurada loja de eBooks do Pontofrio.com. Faturei um 1822, lançamento exclusivo da loja online. Eu sou idiota o suficiente de pagar muito caro por uma versão eletrônica, ok, mas esperar mais?

Depois de ficar nessa página aí em cima por uma hora esperando o produto ao menos entrar no "preparando para envio", recebi um e-mail com a previsão de entrega: 20 de setembro, ou quatro DIAS. A situação não melhorou desde então. Entrei em contato com Claudio Campos, gestor da área de distribuição digital do site. Ele me disse que este mesmo sistema para venda de eBooks já é usado para vender jogos de PC sob demanda há um ano, e operou até agora "sem maiores reclamações". O meu seria um "caso isolado".

Tentei de novo, com outro livro. Tive que preencher todos os dados de cartão de novo (que falta faz a compra em um clique!) no iPad, o que é incômodo. Mais 20 minutos para confirmar o pagamento do cartão de crédito (imagine ficar 20 minutos no restaurante para pagar a conta depois de digitar a senha), e… Nada. Pelo menos o e-mail que eu recebi mais de uma hora depois tinha uma previsão mais otimista: apenas dois dias para a entrega. Nenhum dos dois livros passou para o estágio "Preparando para envio", que deve ser quando os bits são devidamente embalados e etiquetados (eu tenho que preencher o endereço de entrega para a compra ser completada).

O que o Pontofrio, o Gato Sabido ou a Saraiva Digital (que até tem um aplicativo para iPad) não entendem é que mesmo que fossem quatro minutos de espera, e não quatro dias, já seria muito. Eu cansei de comprar livros digitais na Amazon, Barnes & Nobles e iBooks e o processo inteiro (de ver o livro na página da internet ou no aplicativo e ele completo, baixado no iPad) nunca levou mais que 1 minuto. O iTunes é tão bem sucedido porque gera compras de impulso. "Ah, legal, quero ouvir essa música". Você compra porque sabe que é mais barato e que em 20 segundos ela está no seu computador. Já comprei livros de 6 dólares assim.

Abrir uma loja com esse tipo de falha e menos de 100 títulos é algo que não faz sentido para mim. Mas eu tenho fé que um dia os varejistas online do Brasil vão entender que o mercado digital é diferente, que a agilidade e preço são extremamente importantes. Mas até hoje o mercado de downloads de música e filmes não entendeu, seria demais exigir do novíssimo segmento de eBooks, não é mesmo?

E não, não é marcação específica com o Ponto Frio. Poderia falar do péssimo sistema de pdfs com proteção que a Saraiva Digital usa. Ao menos o Ponto Frio chegou bem intencionado. São apenas 65 livros hoje, ok, mas todos são no formato ePub, que permitem uma leitura mais rápida, um arquivo mais leve e mais compatível com diversos leitores. Tudo isso sem DRM, o que é outra bola dentro. Tomara que funcione algum dia. Aviso quando meu livro chegar.