Se você esperava que o próximo iPhone SE fosse reformulado, temos algumas notícias boas e ruins para lhe dar. Um relatório do Macotakara, blog japonês focado em produtos Apple, afirma que a próxima geração do iPhone SE terá 5G e uma melhora significativa nos recursos. O blog também diz que o aparelho não deve receber um novo design — o que é um pouco decepcionante.

Espera-se que o iPhone SE de terceira geração mantenha o Retina Display HD de 4,7 polegadas e o Touch ID. Isso vai contra os rumores do ano passado, quando o analista da Apple,Ming-Chi Kuo, afirmou que a empresa estava trabalhando em uma versão maior do telefone — um iPhone SE Plus de 5,5 polegadas. O que realmente será atualizado, aparentemente, serão os componentes internos do aparelho. A terceira geração do iPhone SE terá o processador A15, atualmente dentro da linha do iPhone 13, assim como o 5G. Quando isso virá ao público? Macotakara afirma que o telefone entrará em produção em dezembro, a tempo para o lançamento nos primeiros meses de 2022.

Isso não é inesperado. Um relatório do site Nikkei Ásia de julho seguiu na mesma linha. É um tanto decepcionante, no entanto, já que é um sinal bastante convincente do fracasso do iPhone Mini, e significa que a Apple não está interessada em gastar mais recursos na inovação em telefones pequenos. Em vez disso, pensa-se que a Apple vai optar por dois telefones de 6,1 polegadas e dois telefones de 6,7 polegadas — um deles será uma versão “mais barata” do Pro Max.

Isso ao mesmo tempo que faz sentido também é desconcertante. Todos nós temos um amigo de mão pequena que reclama que os celulares hoje em dia estão grandes demais para serem usados ​​com só uma mão. O iPhone Mini deveria ser um meio-termo. Tecnologicamente mais avançado que o SE, mas em um tamanho que acomodava mais mãos menores. Em vez disso, as vendas do iPhone 12 Mini foram, na melhor das hipóteses, desanimadoras.

Você pode culpar a duração da bateria não tão boa do Mini, ou o fato de que a onda pandêmica incentivou o uso da Netflix em telas maiores. Talvez, a culpa seja do clássico problema de se ter dois telefones menores que não eram diferentes o suficiente para justificar o preço mais alto do Mini. Mas, ao mesmo tempo, o que exatamente está impedindo a Apple de juntar o melhor do iPhone SE e do iPhone Mini em um único excelente telefone pequeno, que custe menos que seus irmãos maiores? Talvez algo com uma tela maior, com a bateria melhorada do iPhone 13 Mini e as câmeras do SE atual? (Em nossa análise do iPhone SE de 2ª geração, as especificações atualizadas do telefone ajudaram suas câmeras não tão avançadas a tirar fotos impressionantes.)