Fazer um sistema operacional bonito e intuitivo é um bom começo para adentrar o mundo dos smartphones e da mobilidade. Mas a grande paranóia de todas as grandes empresas hoje é: ecossistema. Um sistema bonitinho não se sustenta sozinho. A Microsoft parece ter acertado o caminho no primeiro passo, mas ainda não explorou o grande potencial que tem em mãos.

Peter Rojas, do gdgt, fez uma lista bem interessante mostrando o caminho que a Microsoft pode seguir para firmar sua presença no mundo móvel. Além de um sistema bacana, ela precisará de adaptações, aquisições e até dar o braço a torcer para os outros sistemas. Entenda:

Zunepass no iOS e no Android


Nem todo mundo conhece a ferramenta Zunepass no Brasil, mas aqui no Giz temos provavelmente o maior defensor da plataforma, o Pedro. Mas não é difícil entender o motivo: nos EUA, os usuários do Zunepass pagam 15 dólares por mês e ouvem música legal e ilimitada no PC, no Xbox, no Zune HD ou em um smartphone com WP7. E a base de dados é assustadora, com milhares de bandas obscuras, sistema de recomendação e uma interface muito prática.

Até aí tudo bem, se não fosse a limitação “móvel” do sistema. O Zune HD não conseguiu fazer frente ao iPod e os aparelhos com WP7 ainda são ínfimos se comparados à quantidade de Androids e iPhones do mundo. Nos EUA, as pessoas preferem assinar serviços como o Rdio ou o Spotify para ter o conteúdo em seu smartphone também. Ultrapassar a barreira do “proprietário para nossos produtos” pode ser a salvação do Zunepass e um grande passo para a expansão móvel da Microsoft.

Gmail no Windows Phone

Hora de dar o braço a torcer. O cliente de e-mail do WP7 consegue sincar o Gmail por IMAP, POP3, mas o usuário comum pode achar isso um saco. Ele só quer o Gmail, oras! Por que não desenhar um aplicativo próprio e atrair boa parte do público do Android que gosta da sincronia com sua conta Google? Seria uma forma de se mostrar disposto a ampliar os horizontes, uma coisa bem paz e amor, do tipo “para quê tantas amarras?”. Brincadeiras à parte, esse detalhe poderia mudar a imagem de “fechada em seu próprio mundo” que a Microsoft tem — e que não bate muito com a proposta de mobilidade do futuro.

Hora das compras: adquirir o Skype

Essa faria barulho: após anos e anos de crescimento do mercado VoIP, o Skype continua sendo o cara no assunto. Segundo Peter, a ideia não seria apenas comprar a empresa para colocá-la como um app no Windows Phone 7, mas sim transformá-la numa ferramenta móvel tão boa que substituísse de vez o serviço de voz, além de adicionar chat e vídeochamada de uma só vez. Sobre as operadoras não gostarem da ideia, ele argumenta que tudo indica que os planos de voz serão cada vez mais secundários nos smartphones que farão de tudo, até telefonar.

Office para iOS e Android


A menos improvável das possibilidades, mas que seria uma bomba também. Apesar de ser uma das maiores máquinas de dinheiro da Microsoft, o Office começa a ser levemente ameaçado pelo Google Docs e seu cacoete com a nuvem, além de assistir a Apple vender milhares de apps do Pages, Numbers e Keynote. Se o futuro é na nuvem, ela precisa abrir as portas para os outros sistemas na tentativa de atrair os usuários — nesse caso, o mercado corporativo seria importante.

—————

Provavelmente grande parte dessas ideias não irá acontecer, mas elas mostram como a Microsoft tem imensas oportunidades em mãos — seja por já ter softwares fechados muito bom, ou por ter muito dinheiro e expertise — e só ficará para trás no mundo móvel se continuar com uma visão muito retrógrada de seus serviços e do que os usuários esperam deles. Acorde, Microsoft, nós adorariamos ver você assustando robôs e maçãs. Concorrência é sempre bom. [gdgt]