Em 2008, depois do que teria sido uma “tempestade anormalmente severa”, a primeira leva de salmões AquAdvantage® geneticamente modificados sumiu. Os peixes eram criados próximo a um rio. O que acontece se eles realmente invadiram a natureza?

Segundo a Outside Magazine, os peixes AquAdvantage® foram criados fertilizando ovos de salmão natural com o sêmen de salmões geneticamente modificados. Assim, faz-se o que a empresa de biotecnologia AquaBounty descreve como um salmão híbrido avançado, feito para crescer mais rápido que o normal.

Os ovos foram então levados para um criadouro no Panamá, para fabricar a primeira leva de salmões AquAdvantage®. Se aprovados, eles poderiam ser o primeiro animal geneticamente modificado e aprovado para consumo humano nos EUA.

Aí os peixes sumiram. A empresa disse que houve uma “tempestade anormalmente severa”, mas os registros meteorológicos não contêm nada disso. Uma porta-voz da empresa contou outra história para a Outside Magazine: “uma árvore caiu em um tubo de entrada, interrompendo o fornecimento de água, o que causou sufocamento nos peixes”.

A porta-voz também disse que os peixes eram criados num local alto de montanha, “intencionalmente distante de quaisquer fluxos naturais de água, então não havia possibilidade de escapar”. Mas a FDA, órgão americano que poderia aprovar o peixe AquAdvantage® para consumo humano, diz que eles eram criados próximo a um rio.

O que acontece se peixes realmente invadiram o rio? Uma pesquisadora no Panamá diz ao FDA que “isto causaria problemas ecológicos, devido à natureza predatória do salmão”. Mas eles poderiam se reproduzir? A AquaBounty diz que não há nada a temer:

A AquaBounty alega que há diversas barreiras colocadas para prevenir que genes escapem, incluindo temperaturas próximas à foz do rio que são consideradas intoleravelmente quentes para o salmão atlântico. Além disso, os peixes são selecionados para todos serem fêmeas, e elas são esterilizadas, então no caso improvável de escaparem, os genes não teriam qualquer forma de se espalhar para a população selvagem de salmão.

Mas a própria empresa admite que as técnicas de esterilização não funcionam 100% das vezes – eles até pediram dinheiro ao governo americano para melhorar isto! – e pesquisadores apontam que peixes geneticamente modificados ficam mais resistentes à temperatura.

Ao contrário de organismos geneticamente modificados, que são regulados pelo governo, até hoje os peixes AquAdvantage® nunca foram aprovados pelo FDA. Imaginar que eles sumiram na natureza não é exatamente reconfortante. [OutsideMag]

Foto por vichie81/Shutterstock