Wi-Fi, Bluetooth e NFC são especificações bem estabelecidas em smartphones. E no que depender da Samsung e da Apple, o UWB será a próxima.

O diretor de tecnologia da Samsung, KJ Kim, descreveu a visão da companhia sobre o UWB, ou Ultra Wideband. Para o executivo, trata-se de uma tecnologia transformadora que pode ajudar a facilitar a transferência de dados sem fio e atualizar funcionalidades específicas para casas inteligentes por meio de recursos como a futura chave digital da Samsung.

Assim como o Bluetooth, o UWB é um protocolo de comunicação sem fio de curto alcance baseado em ondas de rádio. O UWB oferece suporte a velocidades de transferência de dados muito maiores que os demais padrões sem fio, e mais importante: permite rastreamento preciso e detecção de ambiente que pode permitir que um dispositivo reconheça e mapeie seus arredores imediatamente.

Em 2018, a Samsung ajudou a criar o Consórcio FiRa, em parceria com a NXP e a HID Global (que desde então se expandiu para incluir outras 45 organizações), para explorar e promover vários usos para o Ultra Wideband.

No início do segundo semestre, a Samsung lançou seus primeiros dois telefones equipados com UWB: o Galaxy Note 20 Ultra e o Galaxy Z Fold 2. A sul-coreana está usando a função principalmente para aprimorar o recurso Nearby Share do Android, que é o equivalente do Android do AirDrop da Apple, e aumentar a velocidade e precisão de envio de arquivos sem fio para outros dispositivos. O recurso SmartThings Find também ganhou a capacidade de gerar um display de realidade aumentada para ajudá-lo a localizar outros aparelhos Galaxy em sua casa.

Em um futuro próximo, a Samsung planeja usar o UWB em eletrodomésticos inteligentes, como bloqueios via chave digital para se comunicar com mais rapidez e segurança do que com as implementações atuais de Wi-Fi ou Bluetooth. E, se olharmos para o futuro, a Samsung e outras fabricantes esperam recorrer ao UWB para oferecer suporte a funções de mapeamento interno que podem guiá-lo para lojas ou quiosques específicos em locais, como um shopping, por exemplo.

Devo mencionar que a Samsung não é a única empresa que pensa nesse sentido. Companhias como Xiaomi planejam usar UWB para se conectar a uma ampla gama de dispositivos domésticos inteligentes, incluindo ventiladores, purificadores de ar, aspiradores e muito mais.

E claro, há a Apple. O iPhone 11 foi lançado com um chip UWB, principalmente para ajudar a facilitar as transferências via AirDrop. Esperava-se que a tecnologia desempenhasse um grande papel nos rumores sobre as AirTags, que supostamente ajudarão a localizar dispositivos perdidos, especialmente aqueles que podem não estar conectados a Bluetooth ou Wi-Fi. Um novo boato sugere que o novo HomePod Mini, que deve ser anunciado no evento desta terça-feira (13), oferecerá suporte a UWB para rastrear sua localização e a de outros aparelhos com chip U1 (que é o que a Apple usa para adicionar suporte a UWB seus dispositivos), e para se conectar a outros gadgets de mídia e dispositivos domésticos, ao mesmo tempo em que pode adicionar suporte a HomeKit para determinados produtos.

Embora as empresas ainda estejam descobrindo como maximizar realmente os recursos UWB, isso certamente será um acréscimo importante às tecnologias sem fio dos dispositivos atuais. É um substituto potencial para certas especificações que atualmente dependem do Bluetooth, que, como todos sabemos, costuma sofrer com falhas de segurança.