Na manhã desta quinta-feira (21), o Instituto Serum, que produz a vacina de Oxford na Índia, foi atingido por um incêndio. Adar Poonawalla, diretor-executivo do instituto, afirmou que não houve nenhum prejuízo nos estoques de vacina contra Covid-19, pois a unidade que pegou fogo foi a que produz vacinas contra o rotavírus.

De acordo com o jornal Times of India, cinco pessoas morreram no incêndio. O prefeito da cidade de Puna, onde o instituto está localizado, afirmou que as vítimas provavelmente eram trabalhadores de construção civil.

O incêndio ocorreu no Terminal 1, onde está sendo construída uma nova fábrica. O corpo de bombeiros da cidade informou à agência de notícias Reuters que cinco caminhões foram enviados ao local para combater o fogo nos dois andares atingidos. Ainda não há informações sobre a causa do acidente, mas o prefeito de Pune acredita que possa ter sido um trabalho de soldagem realizado nas obras.

Apesar das vacinas contra Covid-19 não terem sido atingidas, o fogo consumiu a unidade que produz vacinas para o rotavírus. Poonawalla estima prejuízos de cerca de 40% na produção das doses.

Atualmente, o Instituto Serum é o maior fabricante de vacinas do mundo, com uma produção de 1,5 bilhão de doses para doenças que incluem poliomielite e caxumba. Conforme apontado pelo G1, a Índia começou a exportar as vacinas do Instituto Serum para alguns países esta semana, mas o Brasil não é um deles.

Por enquanto, o Brasil ainda está esperando a liberação de dois milhões de doses da vacina de Oxford que estão na Índia. O avião que buscaria os imunizantes teve que pousar em Recife devido às incertezas diplomáticas entre os dois países e acabou sendo aproveitado para levar cilindros de oxigênio a Manaus.

Assim que surgirem mais informações sobre o incêndio, atualizaremos o texto.

[G1, UOL, CNN]