A WWDC 2009 da Apple já está chegando. No cardápio: definitivamente Snow Leopard e um foco ainda mais intenso do que antes no iPhone OS, como mostram a programação das sessões e os materiais promocionais. Que mais? Eis o que eu acho que veremos:

O novo iPhone
O maior anúncio e a maior interrogação são a nova versão do iPhone. Um novo modelo com certeza está pra vir, mas não sabemos o que terá nele.

Muito provavelmente, o novo celular da Apple manterá o seu design atual. Desde que Steve Jobs chegou à Apple, grandes mudanças no design industrial só aconteceram ao longo de diversas gerações de alterações das entranhas. Historicamente, o iMac, o Powerbook/Macbook ou o Mac Pro passaram por diversas iterações antes de sofrerem um completo redesenho. É muito cedo para o iPhone mudar de cara de maneira intensa, especialmente quando o fator de forma atual funciona tão bem. E, afinal, não há tantas maneiras assim de se fazer um telefone touchscreen. O design do iPhon 3G é simples, elegante e funciona extremamente bem, então não há motivos para vermos um grande redesenho por ora.

Algumas pessoas estão falando de múltiplas versões de cores. Com o iPod Mini, Nano e Shuffle, as cores passaram a ser uma maneira de converter o hardware low-end em acessórios de moda. O iMac também passou por esta fase, que mais tarde foi abandonada. No entanto, o iPod sempre foi ou branco ou preto, tornando-se um ícone por si só. O iPhone também é um ícone de mais alto padrão. Mais pra frente – talvez em outra encarnação, conforme se expande a família de produtos iPhone OS – as cores aparecerão. Mas, por ora, vendo o histórico da Apple, a lógica nos diz que o iPhon não verá as variedades de cores que o iPod Nano possui agora.

Outros boatos apontam para algo chamado “o iPhone inteiriço” (unibody), que no máximo é uma noção meio retardada. O iPhone já é “inteiriço”. Ele pode não ser entalhado a partir de uma única peça de alumínio, mas não há necessidade para isto. É uma única superfície – que é feita de plástico para melhorar a recepção – e um topo de vidro. Não tem como ser mais simples que isso.

Mudanças de hardware
Sejam quais forem as mudanças mínimas que virão para o iPhone, estas serão ditadas pelo novo hardware. Uma destas mudanças será uma câmera melhorada. Não tenho dúvidas de que o iPhone receberá este upgrade tão necessário. Só de olharmos para a faixa de preços e recursos de outros smartphones concorrentes, uma câmera melhor não é apenas uma opção técnica e economicamente viável para a Apple, é uma obrigatoriedade. Eles estão ficando seriamente pra trás nos campos de fotografia e vídeo, o que será visto pelos consumidores como uma grande falha.

Não só isso, mas a Apple apostando pesado na geomarcação do seu conjunto de software iLife’09 pede um aumento na qualidade do seu único dispositivo de aquisição de imagem. No ecossistema fechado da Apple, o iPhone parece ser um candidato em potencial para ser a máquina perfeita a fotografar e filmar a sua vida. Ou seja, espere um sensor melhor, lentes melhores e foco automático.

Outro recurso obrigatório é gravação de vídeo. Isto tem sido apontado não apenas por boatos, mas também por dicas deixadas no Kit de Desenvolvimento de Software. No entanto, mais importante que isso é que a gravação de vídeo está presente em tudo quanto é celular por aí. A Apple não pode mais ficar sem gravação de vídeo no iPhone por mais um ano inteiro. Especialmente não quando um exército de telefones Android com esta capacidade será lançado em 2009 e 2010.

Velocidade e memória serão outros dois pilares para o iPhone da próxima geração. Os dois incrementos são lógicos, especialmente o aumento da capacidade de armazenagem e da RAM para os aplicativos. Conforme o mercado do iPhone OS, jogos e aplicativos maiores e mais potentes chegarão. Mais RAM será praticamente obrigatório para estes aplicativos. O aumento da armazenagem – especialmente quando a gravação de vídeo tornar-se um recurso oficial e a quantidade de megapixels aumentar para a fotografia – também é uma certeza.

Um processador mais rápido também vai rolar. A velocidade geralmente e citada como o mais importante dos problemas do iPhone. Não porque a concorrência atual é muito mais rápida – não é – mas porque as pessoas querem acessar os seus aplicativos instantaneamente, não falar sobre digitação sem malditos lags quando tarefas em segundo plano começam a pesar. Chips mais velozes – tanto a CPU quanto o processador de multimídia – farão o iPhone da próxima geração voar. Não só isso: eles serão necessários para garantir aplicativos mais potentes, necessários para suportar a empreitada da Apple no front dos jogos e as novas capacidades de vídeo.

No entanto, não espere qualquer mágica no hardware – como tela OLED ou logotipos da Apple com iluminação traseira – que parecem ser justo o tipo de coisa que pessoas aleatórias tiram do nada – e com “do nada” eu quero dizer “da bunda”.

O tablet
Eu sempre tive grandes esperanças quanto ao famoso tablet da Apple. Caramba, eu cheguei a sonhar com isso por anos, desde que eu botei minhas mãos no meu primeiro Newton Message Pad. Agora a tecnologia já está no ponto para fazê-lo, mas talvez não com o preço necessário para ser bem-sucedido. Um tablet da Apple basicamente seria um iPhone maior que serviria como um dispositivo casual e barato de computação, confrontando o mercado de netbooks com um aparelho mais ágil, menos apertado e não cretinamente feio. Como estamos consumindo informação na maior parte do tempo, um tablet baseado no iPhone OS é algo que poderia funcionar melhor que netbooks – de fato, parece que até funciona melhor para digitar – nos trazendo mais próximos da nova geração de aparelhos que são menos volumosos que os computadores metaforicamente guiados por desktops.

Infelizmente, tablets de Star Trek: A Nova Geração provavelmente não chegarão este ano, mesmo com a WWDC sendo o último passo antes do lançamento. Na WWDC, a Apple estará assentando as fundações de software para este dispositivo – coisas como aplicativos independentes de resolução que podem se adaptar a diferentes tamanhos de tela e verdadeira multitarefa que permitiria rodar diversos aplicativos e widgets ao mesmo tempo.

Ou seja, mesmo com o Digitimes e as demais fontes malucas de sempre falando sobre os acordos de telas de 10” entre a Apple e a Wintek, eu sou mais pessimista sobre o tablet sendo lançado. Mesmo assim, eu espero que ele finalmente apareça. Mesmo que seja apenas um pré-anúncio – como a Apple fez com o iPhone original. Assim, os desenvolvedores podem começar a fazer seus códigos para o novo fator de forma o mais cedo possível.

O resto
Existem outros boatos sobre o hardware e o software. Este último campo obviamente será dominado pelo Snow Leopard, o último grande lançamento do sistema operacional Mac OS X. O Snow Leopard pode mostrar a sua nova cara na WWDC. Em uma Conferência Mundial de Desenvolvedores, ele será a estrela, eclipsado apenas pelo iPhone OS.

Quanto ao hardware, os adoradores de boatos estão falando sobre novos MacBooks com capacidade 3G embutida, além de updates pros Apple Cinema Displayes – deslocando tudo para iluminação traseira LED – e o iPod Touch – que também precisa ser atualizado, provavelmente chegando à marca de 64GB da mesma maneira que o iPhone dobrará a sua capacidade (o iPhone possui um chip RAM NAND dentro dele para dois no iPod Touch).

Mais uma coisa
Apenas com o novo iPhone, um iPod Touch atualizado e o Snow Leopard, a WWDC 2009 será um belo espetáculo. Um espetáculo com o qual todos os interessados nestas tecnologias deverão se empolgar. Mas o que eu mais espero não é nem hardware nem software. Eu desejo que, ao final da sua apresentação, Phil Schiller diga as palavras mágicas, a clássica “mais uma coisa”, daí Steve Jobs apareceria no palco, sorrindo e visivelmente recuperado dos seus últimos problemas de saúde. Isso, mais do que qualquer outra coisa, seria uma notícia tremendamente boa para o mundo da tecnologia.