Enquanto algumas empresas estão planejando lucrar com a pornografia em realidade virtual, outras estão tentando descobrir como salvar a sua alma. A maior parte das igrejas não está nem sonhando com a criação de postos avançados nos mundos virtuais, mas alguns líderes cristãos que pensam no futuro já estão tentando imaginar como a tecnologia do Oculus Rift poderia mudar a experiência de fazer parte de uma congregação.

Muitas comunidades encontraram na internet um meio de se unir, mas a maior parte das igrejas cristãs ainda depende de encontros ao vivo. Isso significa que várias pessoas acabam ficando de fora, como aquelas que vivem em áreas remotas ou que estão confinadas em suas casas devido a problemas de saúde. É por isso que o Reverendo Christopher Benek, da Primeira Igreja Presbiteriana de Fort Lauderdale, na Flórida, acredita que a realidade virtual fará com que as igrejas de tornem mais acessíveis e populares.

No Hypergrid Business, Benek explica seus planos ao repórter Giulio Prisco:

Pessoalmente, acredito que quando uma tecnologia como a do Oculus Rift tornar ainda mais desenvolvida, imersiva e disponível para o público em geral, nós seremos capazes de criar encontros de culto virtual e experiências de educação cristã. Esse poderia ser um grande trunfo para a igreja, já que permitiria que os enfermos, aqueles que não podem sair e casa e até mesmo as pessoas mais pobres participassem do culto de longe, independentemente de seus desafios pessoais de mobilidade ou da falta de transporte a preços acessíveis…

A congregação e os pastores serão capazes de visitar e orar com um número maior de pessoas com mais frequência. Pequenos grupos poderão fazer mais encontros, mesmo que estejam distantes entre si. A maneira como cuidamos de nossos fiéis e como evangelizamos mudará radicalmente, assim como nossas expectativas acerca do que significa fazer parte de um grupo de fiéis.

Então o reverendo espera que as igrejas cristãs possam finalmente fazer parte de um contexto que qualquer usuário da internet conhece há anos: a internet consegue unir pessoas que estão a grandes distâncias e que celebram um determinado sistema de crenças e interesses. Agora é só colocar os óculos e rezar.

[Imagem de destaque por Emilie Ng]