A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou, nesta terça-feira (1º), o uso emergencial da vacina CoronaVac, desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac Biotech. O imunizante é o sexto a receber essa aprovação pela entidade e é um dos três que estão sendo usados no Brasil.

Segundo a entidade, a CoronaVac “atende aos padrões internacionais de segurança, eficácia e de fabricação”, e “seus requisitos de armazenamento fáceis a tornam muito gerenciável e particularmente adequada para cenários de poucos recursos”. É preciso lembrar que esta é uma vacina que pode ser armazenada em temperatura normal de refrigeração (2ºC a 8ºC).

Com base nas evidências disponíveis, a OMS recomendou seu uso em adultos de 18 anos ou mais, em um esquema de duas doses com um espaçamento de 2 a 4 semanas. Após essa decisão, a CoronaVac pode passar a ser comprada e incorporada ao consórcio Covax Facility, para distribuição em escala global.

A OMS considerou dados de eficácia que mostraram que a vacina preveniu casos sintomáticos de Covid em 51% dos vacinados e casos graves da doença em 100% da população estudada — taxas que correspondem às divulgadas pelo Instituto Butantan em janeiro.

Assine a newsletter do Gizmodo

Além disso, um estudo de efetividade, conduzido pelo Instituto Butantan, indica que a pandemia poderia ser controlada no país com 75% da população vacinada, anunciou o governo de São Paulo na última segunda-feira (31). A pesquisa levou em conta a imunização de 95% da população adulta da cidade de Serrana, no interior de São Paulo. Após a aplicação das duas doses, foi constatada uma queda de 95% nas mortes, 86% nas hospitalizações e 80% nos casos sintomáticos da doença.