Elon Musk foi confirmado como novo dono do Twitter, e assumiu falando em mudanças e um novo momento da rede social. Mas as cobranças sobre o bilionário também não param de crescer. Dessa vez, a Organização Mundial da Saúde (OMS), ressaltou que agora ele tem uma “enorme responsabilidade” de combater a desinformação sobre saúde.

Há dois anos, a OMS luta para combater a enorme disseminação de notícias falsas sobre questões relacionadas a saúde, principalmente sobre as vacinas da Covid-19.

Temendo que o combate a fake news diminua, a OMS fez questão de advertir o novo dono da rede social.

“Em casos como esta pandemia, uma boa informação salva vidas. Em alguns casos, é mais salvador de vidas do que ter uma vacina no sentido de que informações ruins o levam a lugares muito, muito ruins”, disse Mike Ryan, diretor executivo do Programa de Emergências em Saúde da OMS em comunicado.

A Diretora do Departamento de Imunização, Vacinas e Biológicos da OMS, Katherine O’Brien também se manifestou.

“Isso não é apenas uma questão de conversa nos canais de mídia social. Isso realmente tem um impacto sobre o que as pessoas fazem, o que elas escolhem fazer — o que elas escolhem fazer por si mesmas, por seus filhos, por suas famílias. Então, é algo que levamos muito a sério”, enfatizou.

Após a compra da plataforma por parte do dono da Tesla e da SpaceX, muitas pessoas manifestaram preocupação com um eventual retrocesso sobre o delicado tema da sua regulação.

Na terça-feira (26), Musk fez um tuíte falando sobre anticorpos dos que tem a liberdade de expressão. “A reação extrema dos anticorpos dos que temem a liberdade de expressão fala por si mesma”, escreveu ele em sua rede social.