A CES 2020 começa na próxima terça (7), então, naturalmente, a OnePlus está tentando antecipar a repercussão. A empresa mostrou um pouco do seu próximo smartphone conceito, o Concept One, que será anunciado em breve. Porém, até agora a única coisa importante que a companhia revelou é que ele tem um pouco de vidro que muda de cor.

O Concept One é mais um resultado de uma parceria da OnePlus com a McLaren, que usa esse vidro que muda de cor no teto solar de seus carrões. O vidro eletrocrômico também é usado em banheiros sofisticados e similares, permitindo que você transforme uma janela, parede ou porta de vidro de transparente em opaca com o simples toque em um interruptor.

O material funciona assim: uma corrente elétrica é enviada através de um pedaço de vidro, o que faz com que as moléculas dele se alinhem de maneiras diferentes; o quanto você consegue ver através do vidro é determinado por esse alinhamento.

No Concept One, a OnePlus usou o vidro eletrocrômico para criar uma “câmera invisível” — uma tampa de vidro fica opaca e oculta as câmeras do telefone quando elas não estão em uso. Quando você vai tirar uma foto, o telefone manda uma carga elétrica para essa tampa e, magicamente, suas câmeras reaparecem.

Para quem não gosta dessa coisa de módulos de câmeras cada vez maiores e mais feios, a câmera invisível do OnePlus pode ser uma boa novidade. Pelo que deu para ver no breve teaser que a empresa divulgou, o Concept One parece ter uma traseira totalmente limpa, o que deve tornar o telefone muito mais elegante do que o iPhone 11 Pro e outros parecidos. Ficou bonitão.

Mas e aí? É só isso? Não quero bancar o chato. Vidro eletrocrômico é bem legal. O problema do OnePlus é que ele existe há algum tempo, com aplicações modernas sendo usadas em janelas e aviões nos últimos 20 anos, ou até mais que isso. Portanto, apesar de legal, a tecnologia não é tão nova ou impressionante por conta própria.

Mas minha principal queixa não é bem sobre a tecnologia ou como é usada, mas sobre o próprio Concept One. Meu problema é que os conceitos deveriam ser aparelhos futuristas e malucos, que ultrapassam fronteiras e dão asas à imaginação das pessoas.

Estou falando de coisas como o Xiaomi Mi Mix Alpha, que tem uma tela que dá a volta no aparelho, ou o Meizu Zero, que não tem nenhuma porta. Coisas que parecem incrivelmente ambiciosas — dispositivos que podem até ser frustrantes ou irritantes por não funcionarem no mundo de hoje, mas que, com um pouco de refinamento, poderiam se transformar em algo fantástico.

No entanto, com base no teaser único que a OnePlus divulgou até agora, o Concept One parece ser um pouco certinho demais. Se ele tem a palavra “conceito” em seu nome e se a OnePlus realmente não tem intenção de vender o aparelho tão cedo, não há por que não arriscar mais.

Se a empresa está tentando criar repercussão, sinto que vão precisar de um pouco mais do que um vidro que muda de cor. Tomara que esse não seja o único truque do Concept One, porque, se for, a semana que vem vai ser mais chata do que o esperado.