Uma pequena aplicação de software chamada Onionshare oferece o compartilhamento de arquivos mais seguro disponível hoje. Então por que ninguém está ouvindo falar disso? Bom, principalmente porque o anúncio da existência do Onionshare foi feito apenas com um tuíte de seu criador e você precisa ir ao Github para baixá-lo. Mas não deixe que a falta de publicidade te engane: trata-se de um aplicativo muito importante.

O tecnólogo Micah Lee lançou seu serviço de compartilhamento de arquivos discretamente, mas o que a aplicação faz é grande: o Onionshare permite que seus usuários compartilhem arquivos com segurança e de forma anônima, sem intermediários. Lee criou o software depois de ler sobre os problemas que o jornalista Gleen Greenwald teve ao aceitar os arquivos da NSA vindos de Edward Snowden. Agora Lee trabalha na Intercept com Greenwald, onde a equipe já está usando o Onionshare.

Como usar

No momento, o Onionshare ainda é um software em desenvolvimento, mas Lee disse ao Gizmodo que ele está preparando uma nova versão que deve ficar pronta em breve. O Onionshare está disponível de graça no Github, e se você tiver OS X ou superior você poderá testá-lo. A próxima versão deverá contemplar o Windows.

Lee permitiu que nós mostrássemos o software em ação:

ola

Assim que você baixar o Onionshare, precisará também do Tor, que permite que você use a internet anonimamente. Com o Onioshare, você pode mandar um arquivo de qualquer tamanho para qualquer pessoa (mesmo que ela não use o software) sem precisar passar por um terceiro.

Quando um usuário quer enviar um arquivo, o Onionshare cria um site temporário protegido por senha para fazer o compartilhamento. A pessoa que estiver enviando só precisa passar a URL do site temporário e a senha para que a outra pessoa possa ter acesso ao arquivo. Quando alguém abre um arquivo recebido via Onionshare, é criado um link direto entre o computador que está enviado os dados e o computador que deve recebê-los. Uma vez que o arquivo tiver sido baixado, o usuário pode cancelar o site, apagando qualquer traço da transferência.

Por que isso importa

O ativista da EFF Parker Higgins explica porque serviços como o criado por Lee são tão importantes num artigo de opinião para a Wired:

“Aquilo que desagrada o lobby do copyright no compartilhamento peer-to-peer é precisamente o que faz com que esse compartilhamento se torne uma escolha poderosa para defensores da liberdade de imprensa e da privacidade. Ou seja: o peer-to-peer não oferece um mecanismo conveniente para vigilância centralizada ou para a censura. Não há um intermediário que possa facilmente gravar os metadados das transferências — quem subiu ou baixou tal arquivo, do que ele trata, quando ele foi colocado na internet e de onde foi postado — ou que possa bloquear essas transferências. Com algumas implementações peer-to-peer (embora não a de Lee) essas informações poderão ser acessadas pelo público. E gravar ou vigiar tudo isso exigiria um imenso esforço e não o simples pedido do arquivo de log de um provedor que centraliza o serviço.”

O que vem em seguida

Lee tem grandes metas para a sua pequena aplicação. “Eu quero que ela se torne um serviço usado por todos. Nesse momento, enviar um arquivo para outra pessoa na internet ser ser espionado é um grande problema. Eu criei uma maneira simples de contornar isso”, disse ele ao Gizmodo. “Eu gostaria que um grande número de pessoas usassem o Onionshare e que ele se tornasse o novo padrão de compartilhamento de arquivos grandes. Isso tornará a internet mais segura”.

Embora o Onionshare ainda esteja em seu início, o potencial de impacto que ele deve ter na segurança poderia interessar até mesmo advogados experientes — além dos usuários normais da internet que estejam desanimados com o estado atual da privacidade online.

[Imagem de destaque via]